O batismo no Trail do padre Ismael Teixeira, nos 49 km da Ultra Trail do Marão, este fim-de-semana, acontecerá ao lado da sua irmã, Mariana, que correrá a prova mais curta do evento, de 23 km. «Vamos matar saudades da nossa infância», defende o Iron Priest, «quando levávamos os animais ao pasto».

 

O padre Ismael Teixeira descobriu o Trail através dos amigos. O Iron Priest, alcunha como é conhecido após concluir o IronMan de Copenhague no ano passado (3,86 km de natação; 180 km de ciclismo e uma Maratona), acredita aliás que o «desporto é uma história de amizades» e que são os amigos que nos levam para os bons e os maus caminhos.

«Neste caso, para o bom. Tenho vários amigos que fazem Trail e eles me desafiavam para fazer um. No ano passado, na preparação para o IronMan, criou-se um grupo que corria comigo em Monsanto, aos domingos. E isso acabou por servir de preparação para, um dia, correr uma prova de Trail. E esse dia chegou, precisamente no Marão, na grande montanha entre Amarante e Vila Real.»

Um dia que faz questão de correr com «a minha querida irmã Mariana, que também vai fazer a sua primeira experiência no Trail». O padre Ismael Teixeira refere que ambos vão reencontrar a infância durante a prova, quando corriam pela região de Trás-os-Montes.

«A nossa infância foi em Trás-os-Montes, no meio daqueles montes. Na altura já fazíamos Trail, ao levar os animais ao pasto, por exemplo, a andar entre caminhos escarpados, entre pedras, montanhas e vegetação. Agora vamos fazer isso a nível desportivo. De certo modo, vamos recordar a nossa infância!»

Sobre a prova, o Iron Priest vai ter como objetivo correr para a meta, «e a minha meta é Cristo». Ou seja, o padre Ismael Teixeira tem como objetivo «correr bem, ajudar quem conseguir, ser solidário com os atletas que necessitarem».

LEIA TAMBÉM
Iron Priest Ismael Teixeira faz a sua estreia no Trail

Mas Ismael Teixeira admite que provavelmente também vai precisar de ajuda, ainda mais devido a competitividade que faz parte da sua personalidade desportiva.

«É uma Ultra-maratona difícil, é a primeira que vou fazer. Naturalmente que vou dar o meu melhor, gosto de chegar ao fim das provas sem gasolina. Tinha pensado, embora seja muito relativo isso do tempo, tentar completar a prova dos 50 km com 3000 de desnível acumulado em menos de 7 horas.»

Apesar de reconhecer que não pretende abandonar o Triatlo, o Iron Priest garante que a sua carreira no Trial vai além do seu batismo deste fim-de-semana.

«Continuarei no Triatlo mas também pretendo continuar no Trail, participar pelo menos em uma ou duas provas por ano, em provas marcantes, numa montanha bonita, que é uma forma também de conhecer o país, de conhecer o Trail. Eu amo a natureza, a montanha, mas o meu principal objetivo é o Triatlo de longa distância.»