Trials EUA Maratona
Foto: Facebook US Olympic Team Trials

Realizados no último fim-de-semana, desta feita em Atlanta, os Trials norte-americanos para a Maratona dos Jogos Olímpicos de Tóquio deste ano tiveram vários motivos de interesse, para além do desportivo. A começar, desde logo, por duas atletas grávidas, além de uma outra, que foi mãe há apenas quatro semanas…

Os Trials deste fim-de-semana qualificaram seis atletas para a Maratona dos Jogos Olímpicos de Tóquio, já em 2020, três masculinos e três femininos. Nas mulheres, com 51 participantes, três atletas reuniram a maior parte das atenções.

A história destas três atletas – Lauren Philbrook, Rachel Hyland e Stefanie Slekis – foi divulgada pela Runner’s World, sendo que as duas primeiras até já haviam treinado em conjunto para os Trials de 2016, embora vivam hoje em dia em cidades diferentes… Curiosamente, por força do destino, ambas acabaram por ficar grávidas praticamente na mesma altura.

LEIA TAMBÉM
Megan Youngren é a primeira atleta transgénero a disputar os trials da Maratona

Atletas amadoras, Lauren Philbrook tem como ocupação principal a profissão de professora de psicologia na Universidade de Colgate, em Nova Iorque, e está grávida de 33 semanas. Em declarações à Runner’s World, a atleta revelou sentir-se entusiasmada com a ideia de dizer à sua filha que ambas tinham disputado, juntas, uns Trails norte.americanos.

Antes das eliminatórias, Philbrook referiu que não havia razão para não correr, «ainda que eu tenha consciência de que não vou terminar, até porque não me parece o correto». Algo que acabou por acontecer, com a professora a desistir ao quilómetro 12.

«É um privilégio estarmos grávidas e correr os Trials»

Rachel Hyland é Mestre em Língua Espanhola para s Secundário e mudou-se, recentemente, de San Francisco para Boston. No momento dos Trials, estava grávida de 27 semanas.

Com 51 atletas à partida, as eliminatórias norte-americanas de qualificação para a Maratona dos Jogos Olímpicos de Tóquio acabaram apurando apenas três maratonistas. Foto: Facebook US Olympic Team Trails
Com 51 atletas femininas à partida, as eliminatórias norte-americanas de qualificação para a Maratona dos Jogos Olímpicos de Tóquio apuraram três maratonistas

Depois de ter corrido uma Meia-maratona com 21 semanas de gravidez, as dores nas costas e pernas levaram-na a decidir fazer os Trials lado-a-lado com a sua amiga Lauren Philbrook, a mais lenta do grupo, também como forma de a aconselhar durante a corrida. Pois, «como mulheres, devemos procurar encontrar um equiíbrio entre a nossa família e a paixão pelo Atletismo», defendeu Rachel Hyland.

«Nem sempre consegues controlar tudo na perfeição. Tanto eu como Lauren vínhamo-nos a preparar para estes Trials há cerca de dois anos, esse era o nosso objetivo. No entanto, as prioridades mudam e tu nem sempre consegues controlá-las», completou.

No entanto, Rachel também garante que «é um privilégio estarmos grávidas e poder correr aqui» nos Trials, sendo que «há muitas mulheres que lutam contra a infertilidade e que gostariam de ter podido correr enquanto grávidas».

Razões pelas quais acabou correndo lado-a-lado com Lauren até ao quilómetro 12… para continuar sozinha até à distância da Meia-maratona, quando também abandonou.

LEIA TAMBÉM
Samantha Roecker: o nascimento de uma estrela na Maratona?…

Correr os Trials um mês depois do parto

Finalmente, Stefanie Slekis, de 32 anos, a qual, depois de se qualificar para os Trials na Grandma’s Marathon de Duluth, no Minnesotta, com o tempo de 2h42m24, numa altura em que já estava com um mês de gravidez (embora não o soubesse), recusou-se a abandonar a ideia e a preparação para as desejadas provas de qualificação. Aliás, já com oito meses de gravidez, correu inclusive a Maratona do Lousiana, com o tempo de 3h07m15.

Quanto ao parto, estava inicialmente agendado para o dia 18 de fevereiro, ou seja, 11 dias antes dos Trials, mas acabou por ser antecipado para três semanas. Sandy, a filha de Slekis, nasceu a 30 janeiro, um mês antes das eliminatórias, acabando por permitir a Stefanie que, apenas quatro dias antes dos Trials, recebesse autorização dos médicos para competir!

«Não corri para inspirar outras mulheres a fazer o mesmo que eu, ou seja, a correr passadas apenas quatro semanas do parto. No entanto, eu sentia-me em condições, tinha o OK dos meus médicos e assim fiz», afirmou Stefanie.

LEIA TAMBÉM
Enfermeira faz 2h30 na Maratona e deixa Elite americana em sentido

Como curiosidade, refira-se que Stefanie Slekis conseguiu concluir os 42,195 km dos Trials com o tempo de 3h14, terminando no penúltimo lugar.

Entretanto, os maratonistas dos Estados Unidos em Tóquio 2020 serão os seguintes:

MASCULINOS

  • Galen Rupp: 2h09m20
  • Jacob Riley, 2h10m02
  • Abdi Abdirahman, 2h10m03

MULHERES

  • Aliphine Tuliamuk, 2h27m23
  • Molly Seidel, 2h27m31
  • Sally Kipyego, 2h28m52

Foto: Facebook US Olympic Team Trials