Wilson Kipsang, que, em 2013, registou o recorde do mundo da Maratona em Berlim, foi detido pelas autoridades quenianas, juntamente com mais cerca de 20 pessoas, por furar o recolher obrigatório decretado no país devido a pandemia do coronavírus.

Wilson Kipsang e o grupo onde estava inserido foram flagrados a beber álcool num bar em Iten.

«Estas pessoas deveriam apelar ao recolher obrigatório da população», lamentou o comandante da polícia John Mwinzi ao jornal The Standard, que descreve que o grupo procurou, de todas as formas, evitar a detenção, o que obrigou o pedido de reforço das autoridades locais.

Recorde-se que Wilson Kipsang registou o recorde do mundo da Maratona em 2013, concretamente em Berlim, quando correu os 42,195 km em 2h03m23.

LEIA TAMBÉM
Quénia: 12 atletas (dois europeus) detidos por treinarem juntos

Eliud Kipchoge na GQ: o outro lado do homem mais rápido do mundo

Esta Maratona é ainda hoje recordada por muitos, já que, até ao momento, Wilson Kipsang foi o único homem a derrotar Eliud Kipchoge na distância, Kipchoge que tem, no seu currículo, 11 maratonas. Na ocasião, o atual recordista do mundo dos 42,195 km (2h01m39, também em Berlim, mas em 2018) ficou na segunda posição.

De referir ainda que Wilson Kipsang está suspenso temporariamente por eludir vários controlos antidoping, além de ser acusado de manipulação das amostras, e que, em 2019, foi detido por conduzir embriagado após ser responsável por um acidente de viação.

Além do recorde do mundo da Maratona, Wilson Kipsang tem no seu curriculum quatro triunfos (Tóquio, Nova Iorque, Berlim e Londres) em seis Majors, a seis mais importantes corridas do Mundo (além das quatro, mais Chicago e Boston) e uma medalha olímpica, concretamente a medalha de bronze em Londres 2012.