Nas últimas semanas, temos visto vários atletas a correr uma Maratona em casa. O mais recente é o australiano Tim Franklin.

Com o objetivo de motivar a todos a treinar em casa, Tim Franklin, de 36 anos, correu os míticos 42,195 km entre a sua cozinha e a varanda.

No total, precisou de 6h46m05 para terminar o desafio, confessando à imprensa que esta particular Maratona foi mais complicada do que imaginava, principalmente por ser obrigado a dar pequenos passos, fruto do espaço que tinha para correr, concretamente 21 metros.

LEIA TAMBÉM
Para tudo: Subida Vertical ao Gran Hotel Bali confirmada Coronavírus leva atleta chinês a correr 50 km à volta de duas marquesas de massagem

Ao longo das cerca de 6 horas de prova, o australiano Tim Franklin confessou que o abastecimento foi tranquilo e que foi uma vez à casa de banho.

«Estou com o corpo todo doído, mas foi divertido», confessou.

Para ultrapassar este desafio, Tim Franklin foi colocando vídeos da sua corrida nas redes sociais, ao mesmo tempo que conversava com quem o estava a ver correr.

View this post on Instagram

And we are off!! 2010 laps to go!!

A post shared by Tim Franklin (@timmyrfranklin) on

O australiano, acostumado a correr Ultramaratonas, disse ainda que esta Maratona foi mais complicada do que imaginou, principalmente a nível mental.

Entretanto, e após terminar a sua Maratona em casa, Tim Franklin revelou o seu próximo desafio, só por si gigantesco como acabou de realizar: quando terminar a pandemia mundial espera, em junho de 2021, ser o corredor mais rápido a percorrer… 26000 quilómetros por todo o mundo. Um plano que, acredita, consegue finalizar em menos de 450 dias.

Ao que tudo indica, e como estamos a ver por este mundo afora, quem não tiver uma Maratona realizada em casa não terá o seu Curriculum Vitae desportivo completo… Como era de esperar, esta nova modalidade teve o seu início na China, o primeiro país afetado com a pandemia do coronavírus.

LEIA TAMBÉM