Corredor típico de estrada, Ruben Costa há muito que queria explorar o Trail e a oportuniade surgiu com os recentes Saucony Peregrine 10 ST. Após vários quilómetros, terá ganho a modalidade um novo corredor?

Na minha curta carreira de corredor amador, que começou apenas em 2015, só por uma vez participei numa prova de Trail. Foi nesse mesmo ano de 2015 e corri apenas 17 quilómetros. E, em 111 provas que já participei, por que razão só fiz um Trail?

Na verdade, por nenhuma razão em particular. Ou porque não tinha companhia e nunca fui puxado para tal; ou porque não estava para me deslocar de carro para uma serra, montanha, praia, etc. para treinar; realmente não sei… Mas, apesar disso, quando surgiu o convite para experimentar a Saucony Peregrine 10 ST de Trail, não hesitei.

Esta minha análise será baseada assim sobre as minhas impressões e sesações deste modelo nos vários treinos que realizei, não tendo por comparação nenhum modelo Trail da Saucony e não fazendo também qualquer tipo de comparação com anteriores versões do modelo Peregrine.

A sola dos Saucony Peregrine 10 ST é um dos destaque das sapatilhas
A sola dos Saucony Peregrine 10 ST é um dos destaque das sapatilhas

Como primeira impressão, confesso que gostei de imediato da combinação da cor vermelho/preto: vermelho uniforme na totalidade dos ténis com a zona envolvente ao tornozelo a preto. O símbolo Saucony está bem destacado e bastante visível. Dá logo uma ideia de ser um modelo algo pesado mas, ao mesmo tempo, robusto, sólido. Por serem muito fechados, a própria malha (e de certo modo toda a estrutura dos ténis) dá um ar de ser impermeável e, eventualmente, até pouco respirável.

É um modelo com baixo drop, 4mm. Pesei na minha balança de cozinha e, para o tamanho 45, deu-me 373 gramas. Pesado, mas para ténis de Trail deve ser normal (estou habituado a ténis de estrada).

Quanto à sola, ela é composta por uma borracha que a Saucony designa por PWRTrac, com um cadardo grande, estrategicamente colocado e pensado para agarrar bem o terreno. Não tem, como já vi noutros modelos Saucony e de outras marcas, a possibilidade de fazer furos para permitir escorrer a água ou mesmo colocar espigões metálicos para uma aderência extra. Pelo que pesquisei, os Peregrine 10 ou os Peregrine GTX têm.

LEIA TAMBÉM
Carlos Sá é o novo embaixador da Saucony Portugal
O surpreendente amortecimento das novas Saucony Guide 13

A entressola é em PWRRUN+, teoricamente pensada para proporcionar maior retorno de energia a cada passada.

Este modelo é designado de ST, ou seja, Soft Terrain. Provavelmente a ideia da Saucony é ter neste modelo uma alternativa para quando os treinos/corridas são em terrenos arenosos ou com terra solta ou compactada, com relva ou mesmo alguma lama, com alguma irregularidade ou até mesmo com rocha.

Mas vamos lá calçar e sair a correr com os Peregrine 10 ST…

Ao calçar, não os achei apertados. Aliás, senti de imediato um bom aperto e ajuste a toda a estrutura do pé, isto é possível pela tecnologia FormFit.

Logo nos primeiros metros de corrida senti de imediato uma sensação de conforto e de grande reatividade em cada passada, proporcionados pela combinação FormFit, PWRTrac e PWRRun+.

As Saucony Peregrine 10 ST podem ser responsáveis por mais um amante do Trail...
As Saucony Peregrine 10 ST podem ser responsáveis
por mais um amante do Trail…

Mesmo com irregularidades no terreno, e quer em subida quer em descida, nunca senti que os pés estavam soltos dentro dos ténis, acredito que algo fundamental no Trail. Quer a subir, quer a descer, senti que agarravam bem o piso, mesmo num terreno de areia, gravilha ou terra batida. Nesta perspetiva, sente-se a tecnologia PWRTrac e PWRRun+ a funcionar em conjunto.

Como referi anteriormente, a malha e toda a estrutura dos ténis davam desde o início uma sensação de impermeabilidade.

Nos treinos passei por alguns ribeiros com alguma água, embora pouca, tudo para testar se a malha era mesmo impermeável. Realmente, se a passagem for rápida, não entra água, mas, se demorar mais ou for uma passagem onde a água obriga a submergir mais os ténis, provavelmente não teremos a mesma sorte.

Mas gostei da sensação de molhar os ténis e não sentir os pés molhados. No entanto, senti algum calor, algo inevitável pelo facto de serem mais fechados na procura de proporcionar a tal impermeabilidade.

Em resumo, é difícil encontrar aspetos negativos neste modelo. Gostei muito destes Saucony Peregrine 10 ST. Combinam muito bem o FormFit, com o PWRTRAC, com o PWRRUN+. Dá uma excelente combinação entre firmeza, aderência e potência.

Firmeza porque toda a estrutura, desde a malha, atacadores e fixadores, seguram muito bem o pé dentro dos ténis; aderência porque realmente senti que agarravam bem o terreno, sem dificuldade; potência porque deram uma resposta muito reativa e responsiva. Deram também uma sensação de proteção e segurança em termos de tração, quer a descer quer a subir.

Quanto à malha exterior, resistente à água, não deixa qualquer tipo de receio em passar por água. Provoca no entanto algum aquecimento e talvez este seja o aspeto menos bom, um preço a pagar pela impermeabilidade.

A verdade é que a Saucony Peregrine 10 ST fez com que surgisse a vontade de explorar melhor o Mundo do Trail. Ao olhar o calendário, há já uma prova em abril que talvez entre nos meus próximos objetivos…

A personalidade das Saucony Peregrine 10 ST
A personalidade das Saucony Peregrine 10 ST

Pontos Positivos:

  • Tecnologia FormFit que dá estrutura e suporte ao pé
  • Sola em PWRTRAC com cadardo suficiente para dar uma boa aderência
  • Entresola em PWRRUN+ dá um grande retorno de energia na passada
  • Malha sólida e compacta
  • Proteção/resistência contra água;

Pontos Negativos:

  • Sensação de algum aquecimento pois a malha não é respirável;

LEIA TAMBÉM