Mulher a correr rápido

Depois de abordar alguns aspetos da música na corrida, a especialista Raquel Costa revela os prós e contras de corrermos com música.

Alguns aspetos que os corredores devem reter quando decidem correr com música são os seguintes:

  • INFLUÊNCIA NO BEM-ESTAR
    Cada corredor tem os seus próprios gostos e estilos e principalmente ainda possui uma forma distinta de lidar com os estímulos do corpo durante a corrida. Em primeiro lugar o corredor deve perceber de que forma a utilização da música influencia o seu bem-estar. Para alguns, o som no ouvido pode distrair e prejudicar no desempenho, enquanto para outros faz com que tenha melhor desempenho na sessão e ainda que o tempo passe mais rápido.
  • ESCOLHA MÚSICAS ENQUADRADAS NA PREFERÊNCIA E NOS OBJETIVOS
    No caso de a utilização de música lhe proporcionar bem-estar durante a sessão de exercício, o corredor deve escolher o estilo musical que mais gosta, aquele que o motiva e o incentiva.
    Dentro deste estilo, deve ainda optar por aquele que o faça cumprir os objetivos destinados à sessão de exercício. Exemplo: se pretende velocidade, deve escolher músicas com batidas fortes e ritmadas.
  • SEGURANÇA
    Correr com música num volume alto pode ser bastante perigoso. Nunca pode deixar de ouvir o ambiente à sua volta, deve conseguir ouvir um carro, uma pessoa atrás ou as instruções de uma prova.
    Tenha cuidados redobrados em locais de grande fluxo de carros, motociclistas e ciclistas.

LEIA TAMBÉM
Cãibras – Saiba o que as origina e como combatê-las

  • OUVIR O CORPO
    A utilização da música durante a corrida pode impedir que escute o seu corpo, mais concretamente impossibilita a audição de informações importantes durante a corrida, como a respiração e o impacto da passada.
  • INFLUÊNCIA NA PERFOMANCE
    Como percebemos pelo artigo anterior, a música pode facilitar a corrida, pois reduz a perceção de intensidade do exercício em cerca de 10%, ou seja, o corredor tem a sensação de que pode correr mais rápido e por mais tempo.
    Verificamos ainda que torna a corrida mais satisfatória, pois aumenta o humor, o vigor e a alegria, reduzindo a fadiga.

Contudo, a utilização da música tem, também, a sua vertente negativa no desempenho. Evite correr segurando o aparelho de música nas mãos, pois compromete a biomecânica da corrida. Opte por usá-lo preso ao corpo, numa braçadeira ou cinta.

Relativamente aos fones, é essencial que estes fixem bem nas orelhas para evitar parar ou reduzir a intensidade do treino para os recolocar. 

Durante as competições o corredor pode se distrair com a utilização da música, o que pode comprometer a sua prova. Por exemplo, pode não prestar atenção nas passagens de quilómetros, pode não ouvir indicações de organizadores, pode ainda empolgar-se com a música e correr a um ritmo mais elevado do que aquele que aguenta, comprometendo o seu rendimento.

Ou seja, há prós e contras se decidimos correr com música. O que deve imperar é, acima de tudo, o bom-senso.

LEIA TAMBÉM