Seguindo os passos de outras marcas, também a norte-americana New Balance decidiu ajudar no combate à pandemia de coronavírus, masais precisamente desenvolvendo uma máscara de proteção para uso geral, a que juntará ainda batas e sapatos descartáveis.

Numa altura em que os meios de proteção descartáveis são um bem precioso, em particular junto do pessoal médico e sanitário, também a marca de material desportivo norte-americana New Balance decidiu participar no esforço de luta contra o COVID-19.

Perante a escassez de máscaras, luvas, batas e outro material de proteção, a New Balance pediu a ajuda de instituições médicas, assim como de equipas de investigação e desenvolvimento, para desenvolver e produzir uma máscara de proteção de uso geral.

LEIA TAMBÉM
Coronavírus obriga Nike a fechar as portas da sua sede europeia

Entretanto, e obtido o primeiro protótipo há cerca de uma semana, a empresa norte-americana prepara-se agora para avançar, em princípio já em meados de abril, com a produção em massa deste produto nas suas fábricas de Lawrence, Massachusetts, e de Norridgewock, no Maine. O objetivo é atingir níveis de produção na ordem das 100 mil máscaras, por semana.

Ao mesmo tempo, a New Balance está também a desenvolver desenhos e materiais para o rosto que cumpram as exigências da Food and Drug Administration dos EUA, de forma a poderem ser utilizadas pelo pessoal médico e sanitário de primeira linha.

Garantindo que não se trata de uma oportunidade de negócio, a empresa salienta ainda que pretende fazer chegar as máscaras aos destinatários simplesmente doando-as ou por preços que apenas cubram os custos de produção. Nessa missão, espera poder contar com a coordenação das autoridades e entidades médicas.

A par desta solução, a New Balance revela estar a envidar todos os esforços no sentido de responder, de forma rápida, às solicitações para outros tipos de equipamento de proteção individual, como é o caso de batas e sapatos descartáveis.

Também neste caso, desenvolvendo protótipos e explorando parcerias que permitam optimizar as capacidades de impressão 3D que a empresa de material desportivo possui.