Um dos mitos urbanos mais instalados no seio da sociedade mundial é que, para aguentarmos bem o dia-a-dia, devemos dormir, no mínimo, 8 horas. No entanto, de acordo com a National Sleep Foundation (NSF), essa regra não é para todos…

Uma das organizações do Estudo do Sono mais conceituada no mundo, a NSF revelou há tempos uma tabela de sono de acordo com determinadas faixas de idade, um guia que poder servir de modelo para muitas pessoas e que coloca um ponto final em um dos mitos urbanos mais em voga na sociedade mundial.

Devido às inevitáveis mudanças verificadas nos últimos anos, a verdade é que, em relação ao quadro anterior, verificamos algumas alterações significativas nesta tabela do sono, que apresenta o número de horas mínimas e máximas recomendadas pela NSF.

A nova tabela do sono

A nova tabela de sono da National Sleep Foundation apresenta duas novas faixas etárias, concretamente as faixas 18-25 anos e 65 anos em diante. Ou seja, agora temos, no total, 9 faixas etárias que definem quantas horas devemos dormir de acordo com a nossa idade.

A nova tabela de sono da National Sleep Foundation
A nova tabela de sono da National Sleep Foundation

A importância da horas de sono na corrida

Segundo as mais recentes pesquisas, o sono é imprescindível para a obtenção de bons resultados na corrida. Aliás, muitos treinadores defendem hoje que o sono é também ele um treino para o corredor, já que o descanso regenera o desgaste que o corpo sofre durante os treinos.

Curiosamente, e segundo outros trabalhos científicos, a corrida é um excelente aliado daquelas pessoas que sentem dificuldade em dormir, com os especialistas a defenderem que a prática regular da corrida contribui para que a noite de sono seja mais tranquila e relaxante, o que, no dia seguinte, vai acarretar mais autoestima e energia para encarar o dia (além dos benefícios para os pulmões, coração, ossos, cabeça, pressão arterial, memória, peso, etc.).

Quem costuma dormir várias horas ao longo do dia, seja em que idade for, é Cristiano Ronaldo, como pode ler aqui.

Portanto, esqueça as inúmeras séries disponíveis em streaming, o telemóvel e as redes sociais e procure… dormir.

LEIA TAMBÉM