Bruno Gonçalves, de 26 anos, vai ser um dos atletas na linha de partida da próxima Maratona do Porto, agendada para 3 de novembro, curiosamente no mesmo dia da Maratona de Nova Iorque, o que faz com que possa correr a Maratona virtual da Big Apple, se assim desejar. A correr desde 2013, o jovem portuense tem nas pernas 35 corridas, sendo 16 Meias-maratonas e uma Maratona, precisamente no Porto, em 2015. Desde 2018, tem a particularidade de gravar as suas corridas, colocando as suas experiências no canal do Youtube. Aqui fica a sua crónica de como foi e como está a decorrer os seus treinos.

A Maratona do Porto é uma prova que me marca por várias razões, quer por ter sido a minha primeira Maratona, quer pelo fato de ser portuense. Este ano decidi voltar a correr a prova para me redimir do tempo final de 2015, 4h10.

Há quatro anos, sei que não fiz uma preparação exemplar e por isso tive a paga no dia da Maratona, como se poderia prever. Este ano, e pelo menos até ao dia em que escrevo este texto, 5 de outubro, considero que a minha preparação para a Maratona do Porto está muito melhor do que a realizada há quatro anos.

Bruno Gonçalves costuma gravar as suas provas
Bruno Gonçalves costuma gravar as suas provas

Como curiosidade, em relação a tempos, o meu melhor registo aos 5 km é de 19m47 (isto às voltinhas na Faculdade de Desporto do Porto); aos 10 km tenho 42m00, na Volta a Paranhos; nos 21 km conto com 1h37m08, na Meia-maratona Manuela Machado; e, por fim, como referido, 4h10 na Maratona.

De referir que o ano de 2019 começou e eu só tinha previsto correr algumas Meias-maratonas. Via os meus amigos a fazer a inscrição para a Maratona do Porto e ficava indiferente, no sentido em que não me estava a motivar a fazer a inscrição para a mesma.

Contudo, em meados de junho, num jantar, uma amiga minha começou a desenrolar a conversa da Maratona e eu fiquei com o “bichinho” de me inscrever. Fui pensando durante alguns dias e o inevitável aconteceu: lá me inscrevi na prova.

Homem do Norte, Bruno Gonçalves já correu em Lisboa
Homem do Norte, Bruno Gonçalves já correu em Lisboa

A verdade é que andava com pouca motivação para correr (nem as Meias-maratonas me estavam a motivar o suficiente…) e a inscrição na Maratona foi decisiva para um acréscimo de motivação nos últimos tempos.

Os treinos para a Maratona do Porto

Após a inscrição, desenvolvi um plano de treinos para os meses de julho, agosto, setembro e outubro.

Ao olhar para 2019, entre janeiro e junho, estes seis meses, a nível de quilometragem, foram muito “tímidos”: na primeira parte deste ano corri cerca de 338 km. Mas, desde o início do mês de julho e até ao momento, tudo mudou, pois já corri cerca de 500 km.

Posso referir, por exemplo, que, em julho, a semana com mais quilómetros foi logo a primeira, com cerca de 30 km. Em agosto foi a semana entre 26 e 1 de setembro, com 56 km. No que concerne a setembro, a última semana foi a que contou com mais distância percorrida, um total de 58 km. E, de 1 de outubro até hoje, dia 5, já corri 47 km.

Em relação ao meu primeiro treino longo (considero treino longo quando este é superior a 21 km), este aconteceu a 27 de agosto, quando corri 25 km. Hoje, 5 de outubro, corri 32 km.

Em termos gerais estou a cumprir com o plano estipulado. Mas, por vezes, acrescento mais quilómetros ao estipulado, como passar de 10 km para 15 km. Portanto, e até ao momento, não considero ter algo negativo para dizer em relação aos treinos. É facto que, por vezes, há coisas menos agradáveis, mas não negativas.

Um exemplo?

Acordar às 5h00 para correr 30 km e depois ir trabalhar… Isso é o que custa mais, mas vejo tudo isso como uma aprendizagem.

A verdade é que os treinos para a Maratona trouxeram várias coisas positivas, como a motivação para voltar a correr, a capacidade de superação, atingir distâncias que já não atingia há muito tempo, assim como alcançar ritmos que pensei não conseguir fazer. Por exemplo, hoje corri os 32 km a 4m59’.

No entanto, isso tudo não me impede de recear, neste curto espaço de tempo que resta para o dia da prova, que me surja alguma lesão que me impossibilite de correr a Maratona. Isso aí é que era algo realmente negativo…

Ainda falta um mês para a Maratona do Porto e as distâncias mais longas que pretendo fazer serão sempre ao fim-de-semana. Todavia, a partir da próxima semana, já começarei a decrescer a quilometragem.

A corrida para Bruno Gonçalves é, antes de tudo, um prazer
A corrida para Bruno Gonçalves é, antes de tudo, um prazer

Irei correr 25 km, depois 21 km nos dois fins-de-semanas seguintes, sendo que, no terceiro fim-de-semana do mês, irei correr a Meia-maratona de Toulouse. A uma semana da Maratona, em princípio, irei correr 15 km.

Por fim, em relação a tempos e outros apontamentos para a Maratona, defini que queria correr abaixo das 4h00, pois era esse o meu objetivo em 2015.

Acredito que, se correr tudo bem até lá e se no dia estiver bem, conseguirei baixar das 4h00 com uma boa margem. Para isso precisarei de começar com calma e saber controlar o ritmo e o corpo para que depois não seja o corpo a controlar o ritmo. Também será necessário ter atenção à alimentação, mas não só no dia anterior, mas na semana que antecede a Maratona.

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.