Rigoberto Urán

Imagine o campeão mundial e olímpico Eliud Kipchoge a fazer o seu treino de intensidade e, de repente, eis que surge um desconhecido a seu lado a acompanhar a sua passada? Surpreendido? Pois foi o que aconteceu com Rigoberto Urán, ciclista da equipa Education Firt, que se viu apanhado por um amador, ainda por cima de mais idade

 Ciclista profissional, Rigoberto Urán viveu um dos momentos mais divertidos da sua carreira: numa altura em que treinava para aquela que é uma das tiradas mais rápidas nas provas de ciclismo, o contra-relógio, e quando seguia uma velocidade média de 45 km/h, sentiu nas costas um perseguidor.

LEIA TAMBÉM
Jan Frodeno nadou 3,8 km, pedalou 180 km e correu uma Maratona… em casa

Não deixando de manter a velocidade, o colombiano olhou para trás apenas para descobrir um homem mais velho, vestido de camponês, e com uma mochila às costas. Um ciclista que, surpreendentemente, conseguiu «encostar» na roda do ciclista da Education First e manter-se aí.

«Lembro-me que ele colou-se à minha roda e eu, que estava a treinar o contra-relógio, ouvi “tens um homem na roda”. Pensei: “Deve ser um tipo todo aerodinâmico”. No entanto, quando olhei para atrás e o vi… E eu a treinar para o Tour!», recordou Rigoberto Urán nas suas redes sociais, colocando, inclusivamente, o sucedido nas redes sociais.

Aliás, e apesar de estar a treinar para a próxima edição do Tour, Urán fez questão de parar o treino para conversar um pouco com o seu adversário, desde logo para lhe perguntar quem era e de onde vinha.

«Venho da aldeia», respondeu o homem, que, mesmo com uma bicicleta muito menos aerodinâmica, vestido com calças e casaco, botas de chuva e uma mochila às costas, conseguiu acompanhar um dos melhores contra-relogistas da atualidade.

LEIA TAMBÉM
Triatlo: ITU anuncia que não haverá campeão do mundo em 2020

«É assim que acontece quando somos confrontados com a verdadeira concorrência na estrada…», não deixou de desabar, com boa disposição, o colombiano, vencedor da medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Londres 2012, além de ter alcançado os segundos lugares no Giro 2013 e 2014 e no Tour 2017.