Depois de ser a primeira mulher português a alcançar o topo do Evereste, em 2013, e ter caminhado até ao Polo Norte, em 2015, a filantropa Maria Conceição concluiu seis triatlos IronMan (3,86 km de natação, 180 km de ciclismo e 42,2 km de corrida, uma Maratona) em seis continentes em apenas 56 dias. Desafios que têm como objetivo divulgar a Fundação Maria Cristina, criada em 2005 para ajudar crianças no Bangladesh.

 

 

Em declarações à Agência Lusa, Maria Conceição revelou que os médicos e os terapeutas de desporto consideram os seus feitos de extraordinários e que muito se deve à força mental, já que não tem uma estrutura óssea para o desporto.

No passado domingo, a filantropa terminou em Florianópolis, no Brasil, América do Sul, o seu último triatlo do projeto denominado “6×6”, terminando com o tempo de 14h13, o mais rápido dos seis IronMan.

 

LEIA TAMBÉM
Tim Don estabelece novo recorde mundial do IronMan

 

Os anteriores foram os seguintes:

2 de abril: Port Elizabeth, África do Sul (África)
22 de abril: Houston, EUA (América do Norte)
30 de abril: Taiwan (Ásia)
7 de maio: Port Mcquarie (Austrália)
20 de maio: Lanzarote (Europa)

Os tempos de Maria Conceição

 

No total, a lisboeta residente no Dubai nadou 22,8 quilómetros, pedalou 1080 quilómetros e correu 253,2 quilómetros em 56 dias.

«Eu não tinha tempo suficiente para recuperar entre cada um, então cada um foi mais difícil e precisou de mais esforço para completar», confessou à Lusa.

 

LEIA TAMBÉM
Miguel Carneiro vai nadar 11,4 km, pedalar 540 km e correr 126,6 km (Parte V)

 

De referir que Maria Conceição tem seis entradas no Livro de Recordes do Guinness, entre elas o desafio 777, que consistia em correr sete maratonas em sete dias em sete continentes.

Um dos dados curiosos da filantropa é não gostar particularmente de desporto, que o faz apenas para divulgar o trabalho da Fundação Maria Cristina, criada em 2005.

 

Maria Conceição terminou mais um desafio na sua vida