Um triatleta brasileiro, que participava no escalão etário 40-44 anos, morreu no recente Ironman Cozumel, no México, durante o segmento da natação.

Na natação, o primeiro dos três segmentos do triatlo, um atleta brasileiro sofreu um ataque cardíaco por hiperventilação, revelou a imprensa mexicana. Refira-se que a hiperventilação é algo comum nos ataques de pânico, por exemplo.

«A respiração com frequência aumentada pode levar a um “desgaste” dos músculos intercostais (músculos que ficam entre as costelas). Além disso, a hiperventilação diminui o CO2 presente no sangue, levando a uma contração dos vasos sanguíneos, o que leva a um menor afluxo de sangue para os músculos. Estes dois fatores aumentam a produção de ácido lático, o que provoca dor», podemos ler no site ptmedical.

O ataque cardíaco aconteceu logo nos 150 metros iniciais da prova. Apesar de resgatado com vida e atendido de imediato pelos médicos da prova, o brasileiro acabou por não sobreviver após ser alvo de coma induzido num hospital local.

LEIA TAMBÉM
As 10 dicas de triatlo segundo o campeão mundial Sérgio Marques
Beatriz Ferreira: «No triatlo, nem sempre é a corrida a decidir a prova»

«Confirmamos com profunda tristeza a morte de um participante o IRONMAN Cozumel. O atleta foi alvo de intervenção médica durante o segmento da natação e foi conduzido a um hospital próximo, onde foi atendido pelos profissionais da instituição. Unimo-nos a dor dos familiares e amigos do atleta e continuaremos a oferecer apoio neste difícil momento. O bem-estar dos nossos atletas é sempre a nossa prioridade pelo que vamos continuar a trabalhar com as autoridades para proporcionar um ambiente seguro para todos os competidores. Em respeito à família e à privacidade do atleta, não daremos mais informações», revelaram os organizadores da prova através das suas redes sociais.

https://www.facebook.com/watch/?v=2138207279567303&external_log_id=d241e96ce786c39a59168901ce778c8b&q=ironman%20cozumel

De referir que o vencedor do evento, com seis slots para o Mundial de Kona do próximo ano (três no masculino, três no feminino), foi Tyler Butterfield, com um recorde do percurso e o sexto melhor tempo de sempre do IRONMAN (3,8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42,195 km de corrida). O atleta das Bermudas terminou com o tempo de 7h44m01. No feminino, o triunfo foi para Carrie Lester, com 8h38m41.