O norte-americano Jim Wamsley, um dos principais nomes do Trail mundial, conquistou este sábado o título da World Mountain Running Association, num evento realizado na Patagónia argentina de Villa La Angostura.

Na K42 Adventure Marathon (41,5 km e um desnível positivo de 2.184 metros), Jim Wamsley comprovou mais uma vez ser um dos melhores corredores de sempre, tanto a nível de Trail como de estrada, já que é natural vermos o norte-americano, uma autêntica referência no seu país e um pouco em todo o mundo, a disputar provas além das montanhas.

Num evento que reuniu cerca de 38 nacionalidades e mais de 400 atletas, Jim Wamsley terminou com o tempo de 3h12m16 e confirmou o seu favoritismo.

Nas posições seguintes ficaram o italiano Francesco Pappi, com 3h13m04, e o espanhol Oriol Cardona, com 3h20m24. Espanha que acabou por conquistar o título por equipas, à frente de Estados Unidos e Itália.

«Foi um desfio grande pois não consegui relaxar em nenhum momento», afirmou Jim Wamsley no final. De salientar que o norte-americano superou o recorde da prova, desde 2012 na posse de Miguel Heras.

Romena Cristina Simion suerpreende e vence Mundial

Na prova feminina, a campeã foi a romena Cristina Simion (3h49m57), que superou as francesas francesas Adeline Roche (3h51m56) e Blandine L’Hirondel (3h52m07).

Junto com Jim Wamsley, a romena Cristina Simion também conquistou
o título no Mundial de Trail
Junto com Jim Wamsley, a romena Cristina Simion também conquistou
o título no Mundial de Trail

As gaulesas, no entanto, conquistaram a prova por equipas, ficando à frente de Espanha e Roménia. O melhor registo da corrida continua na posse de Elisa Desco (3h48), tempo obtido em 2015.

De referir que Espanha participou pela primeira vez neste evento, que já conta com 35 edições. E. logo na sua primeira participação, levou para o país uma medalha de ouro e prata coletiva, além de uma medalha de bronze individual. Apenas uma prova da força espanhol no Trail.

A prova ficou marcada pelo clima, que exigiu um maior esforço aos atletas, que tiveram de superar trilhos com neve e rios com algum volume, fruto das chuvas que assolaram a região dias antes.

No próximo ano, Haría, em Lanzarote, Espanha, acolherá o Mundial.