Numa edição marcada pela morte de um atleta e pelo oitavo triunfo do marroquino Rachid El Morabity, Vicélio Mendes foi o melhor português na Maratona das Areias.

A morte de um atleta francês na segunda etapa (leia aqui) marcou a edição deste ano da Maratona das Areias, uma das provas mais complicadas de concluir no mundo, já que decorre em pleno deserto do Saara marroquino. No total, 250 km em 7 dias em autossuficiência, ou seja, cada participante deve carregar a sua própria mochila com comida, roupas e outros materiais que acredite ser necessário e o material obrigatório.

Este ano, e pela oitava vez no historial da prova, o vencedor foi Rachid El Morabity, de Marrocos, com 21h17m32. Atrás ficaram o irmão Mohamed El Morabity (21h32m12) e o francês Merile Robert (22h39m02).

No feminino, a mais forte também foi uma atleta local, Aziza Raji (30h30m24), que superou a japonesa Tomomi Bitoh (34h39m17) e a francesa Aïcha Omrani (35h47m48).

Ao longo dos tempos, Portugal faz questão de estar presente na Maratona das Areias. 

«O prof. Mario Machado foi o pioneiro das participações portuguesas. Presente na 1.ª edição em 1986, mas desistente aos 70 km quando ocupava o 4.º lugar da geral. Na 2.ª edição lá estava novamente à partida juntamente com mais 71 companheiros de aventura. Nessa edição levou uma mochila com estrutura metálica que depois de cheia pesava só 14,5 kg… Essa edição teve 200 km, com etapas de 20, 30, 28, 70, 42 e 10 km. e o Prof. Mário Machado classificou-se em 6.º lugar com 25h15m13. 46 dos 72 atletas à partida, concluíram aquela edição! Para além do Prof. Mário Machado, desde 1998 até 2021 já participaram nesta prova 49 portugueses: 39 homens e 10 mulheres», revela Orlando Duarte. «Carlos Sá, com seis participações, Pedro Gonçalves, Carlos Soares, António Marinho, Carlos Coelho e José Morgado com duas, são os que têm mais que uma participação. Nos homens é Carlos Sá que tem a melhor marca, com o 4.º lugar de 2013, com 21h20m52. Nas mulheres, a melhor marca pertence a Susana Simões, em 2012, com o 6.º lugar e 29h53m42.»

Na edição deste ano, Vicélio Mendes, com 41h17m14 foi o melhor português. Depois tivemos Pedro Conde, com 42h27m14, e Rodrigo Santos, com 42h54m16. Nota também para Fernando Bernardino, que terminou a corrida com o tempo de 49h06m57.

A edição deste ano ficou ainda marcada pela desistência de cerca de metade dos competidores, já que a prova, habitualmente  disputada em abril, apresentou condições extremamente quentes.

«A prova este ano foi muito difícil, nunca esteve tão quente», confessou Rachid El Morabity.

FOTO: Marathon des Sables