Este fim-de-semana realiza-se o Ultra Trail do Marão, com três provas: 104 km, 49 km e 23 km. Na distância intermediária teremos a participação do Padre Ismael Teixeira, conhecido por todos como o Iron Priest após ser o primeiro padre no Mundo a concluir um IronMan (3,86 km de natação; 180 km de ciclismo e uma Maratona). «É o meu batismo no Trail», revela. Um batismo que não é bem visto pelo seu treinador…

 

Ser “batizado” no Marão é algo significativo para o padre Ismael Teixeira, já que a montanha é próxima da terra onde cresceu, «é o limite que separa a região do país onde nasci, que é Trás-os-Montes. Podemos recorrer ao ditado “Para lá do Marão, manda os que lá estão”. E, para lá do Marão, quando atravessas a montanha, está Trás-os-Montes, está Vila Real, o meu distrito, depois Valpaços e, a seguir, a minha querida terrinha, Canaveses, pequenina no meio daquelas montanhas.»

A admiração do Iron Priest pela região é notória e por isso a escolha para o batismo no Trail é algo mais do que natural. De certo modo, óbvia.

«É ali que começa essa região que gosto muito a nível de beleza física, que é Trás-os-Montes. Porque o Marão é a montanha mais bonita, próxima da minha terra.»

LEIA TAMBÉM
Trail Vila de Rei: o duelo que não existiu entre Tiago Romão e David Quelhas

Apesar de empolgado com a estreia no Ultra Trail do Marão, o padre Ismael Teixeira confessa que a sua participação não é bem vista pelo seu treinador, que teme uma eventual lesão.

«O meu treinador não queria que eu fizesse esta experiência no Trail, já que o meu objetivo principal é o Triatlo de longa distância. Segundo ele, a modalidade é muito propício a lesões devido ao piso irregular, sobretudo entorses. Lesões que pode colocar toda uma época em causa.»

Mas a verdade é que, como na vida, há sempre o outro lado da medalha:

«O Trail também tem muitas vantagens: estamos a correr na natureza, na terra, é um piso que não é sempre igual e portanto fortalece diferentes músculos e ligamentos. Como tudo, tem os aspetos positivos e os negativos. O Trail também fortalece, a nível muscular, as pernas… De certeza que isso também é bom para fazermos um melhor resultado em estrada, em provas de 10, 20 km e mesmo uma Maratona. A força que uma pessoa desenvolve na montanha é importante para correr em estrada. Vejo isso também como uma vantagem

LEIA AINDA HOJE A SEGUNDA PARTE