O principal organismo estatal chinês para o Desporto anunciou a decisão de reforçar a segurança em todas as provas mais longas, como as Ultramaratonas, realizadas no país em resposta à morte de 21 atletas de grandes distâncias na província de Gansu, noroeste da China.

A morte das mais de duas dezenas de atletas durante uma prova de ultra-running na província de Gansu resultou de uma mudança inesperada das condições meteorológicas, com a corrida de 100 km a começar sob temperaturas quentes para, de repente, ser fustigada por granizo e ventos fortes que quase impediam os atletas de permanecer de pé.

Desta forma, as equipas de resgate e militares acabaram atribuindo as mortes ao clima extremo e repentino, assim como à falta de preparação para emergências. Com o governo chinês a designar de tragédia este caso, o mesmo, em declarações à emissora estatal CCTV, considerou como «um alerta para os eventos do género, como a Maratona, que têm vindo a florescer em quase todos os lugares da China nos últimos anos».

Jing Ling foi uma das vítimas da tragédia na China, que provocou a morte a 21 atletas
Jing Ling foi uma das vítimas da tragédia na China, que provocou a morte a 21 atletas

No entender dos governantes, o planeamento da rota, as garantias de segurança, a emergência médica, o resgate de emergência e o fornecimento de comida têm de ser precisos e à prova de falhas. Isto ao mesmo tempo que os corredores são advertidos a ‘respeitar a natureza, respeitar a ciência, valorizar a vida».

Entretanto, a Administração Geral dos Desporto da China pediu aos organizadores das corridas para que assumam a responsabilidade pela segurança e façam protocolos detalhados e planos de contingência, incluindo a instalação de um «botão de alerta», para o caso da segurança se tornar um problema durante a corrida.

LEIA TAMBÉM
Tragédia na China: morreram 21 corredores numa prova de Trail

Recordar ainda que as maratonas tornaram-se, nos últimos anos, extremamente populares na China, com algumas destas provas a atraírem médias de 40.000 corredores, muitos deles sem grande preparação para fazer uma prova desta dimensão, o que aumenta o problema da segurança dos atletas.