A Maratona de Valência ficou marcada por três feitos. Pela primeira vez correu-se a distância em menos de 2h04 e 2h20 no masculino e no feminino, respetivamente, em Espanha, e o recorde da Europa do turco Kaan Ozbilen, segundo classificado.

Após o recorde do mundo nos 10 km, Valência acolheu outra enorme prova, com a sua Maratona a ser hoje a sexta mais rápida de sempre, uma aposta portanto ganha da cidade, que, para o ano, pretende acolher 30 mil maratonistas, cinco mil a mais do que a edição deste domingo. Para isso, vai abdicar da corrida dos 10 km, onde Joshua Cheptegei escreveu o seu nome para a história.

LEIA TAMBÉM
Joshua Cheptegei alcança recorde do mundo nos 10 km de Valência
Cerca de 400 portugueses na Maratona de Valência

O vencedor dos 42,195 km foi Kinde Alayew, que, por acaso, não era um dos favoritos ao triunfo final. O etíope cruzou a meta com o tempo de 2h03m52, novo recorde da prova, que estava na posse do compatriota Leul Gebrselassie desde o ano passado (2h04m31).

Na segunda posição, outra surpresa, o turco Kaan Ozbilen, com 2h04m16, novo recorde da Europa, que estava na posse de Mo Farah (2h05m11 na Maratona de Chicago 2018).

O último lugar do pódio foi ocupado por Guye Idemo, com 2h04m42.

Mulheres sem recorde da Europa mas também com brilho na Maratona de Valência

Também tivemos uma enorme prova no feminino, já que a etíope Roza Dereje alcançou um novo recorde para o circuito: 2h18m32. O anterior era de Ashete Dido (2h21m14 em 2018). De referir que a sua melhor marca era 2h19m17. Este é o 9.º tempo de sempre da Maratona feminina.

Para termos uma ideia da qualidade da prova, refira-se que todas as atletas do pódio correram abaixo da melhor marca de Valência. Atrás de Dereje ficaram Azmera Abreha (2h18m33) e Birhane Dibaba (2h18m46).

E ainda tivemos mais duas atletas a correrem em menos de 2h20: Vivian Cheruiyot (2h18m02) e Zeineba Yimer (2h19m27).