Markus Cook é um daqueles atletas que serve de inspiração para milhões. Em 2015 pesava mais de duas centenas de quilos. No ano passado disputou o Mundial de Triatlo, no Havaí, e, este ano, correu a recente Maratona de Nova Iorque, fazendo questão de levar consigo uma foto do seu recente passado, quando pesava impressionantes 221 kg.

A vida de Markus Cook mudou em 2015. Na altura, a pesar cerca de 221 quilos, ficou abalado com as palavras de um amigo que morria de cancro.

«Estou a morrer devido a uma doença incurável. Tu morres por opção própria.»

Palavras duras que alteraram por completo a vida de Markus Cook, que mudou a sua alimentação e começou a treinar, primeiro a caminhar, depois a correr, juntando-se posteriormente o ciclismo e a natação. Foi ainda alvo de uma cirurgia bariátrica, isto é, uma cirurgia para tratamento da obesidade.

Um ano depois, em 2016, Markus Cook concluiu o seu primeiro triatlo sprint. A primeira de muitas provas, como o triatlo olímpico, a Maratona de Houston e, em 2017, com menos 117 quilos, o Ironman Texas (3,8 km a nadar, 180 km a pedalar e 42,195 km a correr) em 16h31.

Exemplo para todos, Marcus Cook começou a colaborar com a marca Ironman, sendo convidado a participar do Mundial de Kona, em 2018, no Havaí. Terminou a prova com o registo de 16h51, ou seja, nove minutos antes do fim do tempo limite (ainda ficou à frente de quatro atletas…).

View this post on Instagram

It ain’t everyday you visualize a moment and when it happens you know it was all worth it. All the workouts by @katieproko husband Ben all the sacrifices @mandylynn72 and the kids made for me to train so much. @endlesspools for letting me use a great training tool in my home pool, for @on_running for putting me in some great shoes, for @rokasports for awesome swim gear and eye protection, for @skratchlabs for keeping my stomach full for @wahoofitnessofficial getting my bike ftp up from 160 -280 in 5 months on that kikr, for @bodyhealthoptimized keeping my body in tuned with perfect amino and all things vitamins, for @feltbicycles getting me tuned up for race day, for @garmin for those power meters and watch, for @baseperformance for the special juice, for @tri_starky stealing all the Raisin Bran crunch and teaching me the tire changing skills (over and over and over and over) for @isaaccookfilmmaker and @kylemccuiston always being 10 to 15 miles from me at all times and kicking videos, for @utopiamedspa for taking off that belly, for @hedwheels for those awesome wheel set to ride on the Queen k, for @bocogear for the awesome hats, for @peaksapparel for putting up with Jason’s crazy designs, for @oofos keeping me comfy on recovery, for @im_foundation and their tireless work to make a tangible mark on our race communities, @thenipstrips keeping my nips nice for 16:51 for @ironmantri for believing in me from the beginning, for @ironmanvoice for bringing me home. This is just the beginning. #impossible 🎥 @missskubakitty #thosefinishlinekisses #verified NOTE- this footage was sent to me from a spectator of them catching me seeing and giving my family kisses at the finish line at IRONMAN World Championship in Kona last October 2018

A post shared by Marcus Cook (@bigtolittle) on

A sua chegada foi muito festejada pelos presentes, com Marcus Cook a fazer questão de cruzar a meta com a sua foto de quando pesava 221 quilos, um gesto que costuma fazer em todas as provas.

Foi o que aconteceu na recente Maratona de Nova Iorque, com 47 anos. Correndo com uma foto de quando pesava 221 quilos, o norte-americano foi um dos destaques da prova, terminando a corrida mais popular do mundo em 7h26m13. O tempo, evidentemente, foi o de menos. O que o norte-americano mostrou mais uma vez foi o seu caminho até ali, o exemplo que dá para muitos.

«Talvez não tenhas 220 quilos, mas podes ter 220 quilos de problemas. A única forma de alterar os teus problemas é fazeres, TODOS OS DIAS , algo novo sobre aquilo que necessitas mudar. Um pequeno passo conduz a um grande resultado», garantiu no final.

LEIA TAMBÉM
Hannah Gavios: da tentativa de estupro para a Maratona de Nova Iorque

As 10 dicas de triatlo segundo o campeão mundial Sérgio Marques
Beatriz Ferreira conquista título mundial para Portugal