Maratona de Xangai 2019

Numa altura em que a corrida ganha uma implantação cada vez maior na China, dois participantes na Maratona Internacional de Xangai acabam de ser banidos, para sempre, da prova. Motivo? Foram apanhados a fazer batota, uma delas por ter corrido parte do percurso de… bicicleta!

O problema tem vindo a crescer, praticamente à mesma velocidade com que os chineses têm aderido à corrida. Sendo que, noticia o Japan Running News, são cada vez mais os casos de atletas apanhados a… contornar as regras.

A última situação assinalada aconteceu na Maratona Internacional de Xangai, cuja ultima edição teve lugar no passado dia 17 de Novembro.

Segundo a mesma publicação, que cita a organização da prova, assim como alguns media locais, dois corredores terão sido apanhados a fazer batota durante a corrida, um dos quais a fazer parte do percurso de… bicicleta!

Punição exemplar para batoteiros

O chinês Beijing News avança que o autor da batota na Maratona de Xangai terá sido uma mulher, que, além de ter adotado um dorsal masculino de um outro corredor, foi apanhada, a meio do percurso, numa bicicleta.

A mulher, que a organização decidiu identificar apenas pelo último nome, Zhao, terá sido já banida, para sempre, de todos os eventos desportivos organizados pelos responsáveis da Maratona de Xangai.

LEIA TAMBÉM
Meia-maratona de Shenzhen mostra o pior do corredor

Quanto ao homem que terá cedido o seu dorsal a Zhao, terá recebido o mesmo castigo da organização, com base no argumento de que «não só participou numa fraude, como nada fez para impedi-la».

Além do castigo aplicado pelos organizadores da Maratona de Xangai, o casal sofrerá ainda punições da Associação de Atletismo da China, avança o Beijing News.

Caso de batota na Maratona de Xangai não foi o único

No entanto, e ao contrário do que se possa pensar, esta é uma situação que tem vindo a ser detectada igualmente noutras maratonas chinesas.

Com o número de adeptos das corridas a crescer a cada dia que passa, são também cada vez mais os casos de batoteiros que tentam enganar as organizações das provas e falsear a verdade desportiva
Com o número de adeptos das corridas a crescer a cada dia que passa, são também cada vez mais os casos de batoteiros que tentam enganar as organizações das provas e falsear a verdade desportiva

Na Maratona Internacional de Xuzhou, por exemplo, a qual teve lugar em março, uma tentativa muito semelhante de falsificar a verdade desportiva foi igualmente detetada. Mais uma vez, protagonizada por uma mulher.

Já na Meia-Maratona de Shenzen, em novembro de 2018, o caso assumiu proporções ainda maiores, com mais de 250 corredores a serem apanhados, cortando parte do percurso da prova.

LEIA TAMBÉM