Justin Gallegos Paralisia

Numa altura em que o queniano Eliud Kipchoge está nas bocas do mundo por ter conseguido fazer a Maratona em menos de duas horas, um outro atleta acaba de alcançar feito não menos impressionante: com paralisia cerebral, terminou a Maratona de Chicago.

Falamos de Justin Gallegos, atleta norte-americano de 21 anos, que vive com uma paralisia cerebral. Mas que, nem mesmo assim, abandona a sua grande paixão, a corrida.

Aliás, hoje em dia, Justin dedica-se, enquanto profissional, à modalidade. Especialmente depois de se ter tornado no primeiro atleta com paralisia cerebral a assinar um contrato de patrocínio com uma marca de artigos desportivos, concretamente a Nike.

Ao terminar, pela segunda vez, a Meia-Maraotna de Eugene, Justin garantiu um contrato de três anos com a multinacional Nike

Atleta da Universidade de Oregon, nos EUA, Justin despertou a atenção da Nike ao terminar, pela segunda vez, a Meia-Maratona de Eugene, com o tempo de 1h56m36. Um feito registado em vídeo que acabou tendo centenas de milhares de visionamentos nas redes sociais, contribuindo, dessa forma, para que a conhecida marca de artigos desportivos propusesse um contrato de atleta profissional, para os próximos três anos, ao norte-americano.

Quando Gallegos imitou Kipchoge

Entretanto e já no passado domingo, Justin Gallegos voltou a fazer história ao tornar-se no primeiro atleta com a sua deficiência a terminar uma Maratona concretamente a Maratona de Chicago, local onde foi registado o novo recorde mundial da distância no feminino.

Acompanhado do seu pai, Brent, que é também um dos responsáveis pelo êxito alcançado por Justin, o atleta norte-americano fez o tempo de 4h49m30. Inclusivamente, ontem, quarta-feira, recebeu os parabéns do próprio Eliud Kipchoge.

Justin Gallegos Paralisia
Resultado de muito esforço e trabalho, Justin Gallegos acaba de tornar-se no primeiro atleta com paralisia cerebral a terminar a Maratona de Chicago

Aliás, o atleta queniano segue, há já algum tempo, nas redes sociais, os feitos de Justin, não deixando de deixar os seus comentários.

As razões do sucesso

De resto, Justin e Eliud partilham a máxima: “Correr para provar e demonstrar que não há limites. O único limite que temos é a nossa mente“.

No caso do norte-americano, importante na sua evolução desportiva foi, no entanto, também o seu pai, Brent, um ex-velocista e saltador com vara.

LEIA TAMBÉM
Duplo amputado termina Ironman do Hawai em 16h26
Aos 80 anos terminou o Mundial de Triatlo após 17h17

Quando Justin decidiu que queria jogar futebol na equipa da sua escola secundária, foi o pai que o convenceu de que a corrida seria um desporto mais adequado para as suas capacidades. Sendo que, em seguida, não apenas o colocou em contacto com um treinador de Atletismo, como, inclusivamente, passou a fazer 90% dos treinos com o filho.

Justin Gallegos Paralisia
Tal como o agora homem mais rápido do mundo na Maratona, Eliud Kipchoge, também Justin Gallegos tem como máxima que não há limites… a não ser, na nossa mente

Campeão dos 400 metros

Acompanhado, Justin começou então a treinar na divisão paralímpica, ao mesmo tempo que competia no campeonato estadual, onde acabaria por sagrar-se campeão estadual dos 400 metros.

Apesar da doença que o obriga a correr colocando os pés exageradamente para dentro – o que acaba por lhe causar quedas que se repetem até hoje, em particular, nas distâncias mais longas -, a verdade é que o desporto também tem contribuído para o aumento da força muscular e melhoria da coordenação motora do americano. Com estes avanços a repercutirem-se na performance, com Justin a passar de uma marca de mais de 7 minutos por quilómetro para qualquer coisa como cinco.

De resto, neste momento, o maior problema na corrida do atleta da Nike têm sido os quilómetros iniciais – Justin tem tendência para começar demasiado rápido. Algo que em que o atleta está já a trabalhar, dando mais atenção ao relógio, de forma a pausar mais o seu passo e chegar ao fim.

Justin Gallegos Paralisia
Embora hoje em dia dedicado às grandes distâncias, as primeiras vitórias de Justin apareceram, contudo, nos 400 metros

O próximo objectivo

Entretanto e até porque não pretende dormir à sombra dos louros, Justin Gallegos definiu já um novo objectivo – quer correr os 50 quilómetros de Eugene.

Para tal, o norte-americano está já a treinar, ao som da música dos Metallica (uma das suas bandas favoritas), preparando um desafio que terá lugar no próximo mês de dezembro. Pois, como defendem tanto Justin como Kipchoge, «o único limite que o Homem tem é a sua mente»…