Mary Keitany procurava alcançar a quinta vitória na Maratona de Nova Iorque, mas falhou o objetivo devido a compatriota Joyciline Jepkosgei, recordista mundial na Meia-maratona.

Após as vitórias em 2014, 2015, 2016 e 2018, Mary Keitany procurava ser mais uma vez a rainha da Maratona de Nova Iorque. E fez por isso, já que terminou a prova com o tempo de 2h23m32, melhor tempo que o alcançado, por exemplo, nos seus primeiros três títulos (em 2018 correu em 2h22m48).

O problema da queniana foi a compatriota Joyciline Jepkosgei, vencedora da edição de 2019 da Maratona de Nova Iorque, com o registo de 2h22m38, a apenas 7 segundos do melhor tempo da corrida, na posse de Margaret Okayo desde 2003 (2h22m31). No ano passado, Keitany correu os 42,195 km em 2h22m48.

LEIA TAMBÉM
Carlos Costa e Rosa Madureira melhores portugueses na Maratona do Porto

As mais belas Maratonas do mundo, em Portugal e no Brasil

O que mais impressiona no triunfo de Jepkosgei é ter alcançado a vitória na sua estreia na distância, ainda mais naquela que é considerada a principal Maratona do mundo, em termos de ambiente.

Notas ainda para a etíope Ruti Aga (vencedora da maratona de Tóquio este ano, em março), terceira, com o tempo de 2h25m51, e para a norte-americana Desiree Linden, com 2h26m46, sexta colocada e a melhor atleta do seu país.