O etíope Deso Gelmisa venceu, este domingo, a Maratona do Porto 2019, ficando a apenas três segundos de estabelecer um novo recorde da prova. Já na prova feminina, a vitória foi para a também etíope Gadar Dontu Bekele.

Numa prova em que os atletas acabaram por ter o vento de frente como um forte adversário, Gelmisa, que terminou isolado, acabou não conseguindo bater o recorde da Maratona do Porto, na posse do ugandês Robert Chimoges, com o tempo de 02h09m05, obtido em 2018.

Na Maratona do Porto 2019, Gelmisa fez o tempo de 02h09m08, ou seja, apenas mais três segundos que a melhor marca de uma Maratona do Porto que possui, hoje em dia, o nível Bronze da Federação Internacional de Atletismo.

LEIA TAMBÉM
Eurosport 1 transmite Maratona de Nova Iorque e oferece bónus Kipchoge

O queniano Victor Kiplimo, com 02h10m56, e o etíope Debele Belda, com 02h14m22, ficaram nos restante lugares do pódio.

Domínio etíope também no feminino

Já na prova feminina, a vitória sorriu a mais um atleta da Etiopia, Gada Dontu Bekele, a qual terminou os 42,195 km também isolada, com o tempo de 2h33m38. Resultado que é também a sua melhor marca pessoal, mas que acabou não sendo suficiente para derrubar o recorde da prova feminina, atualmente nas 2h30m13.

Nos restantes lugares do pódio, ficaram as compatriotas Mestawot Tadesse, com o tempo de 02h39m14, e Genet Getaneh, com 02h40m59.

Vento foi a principal dificuldade

No final, Gada Bekele não deixou de destacar a dificuldade da maratona portuense, especialmente devido “ao vento de frente”. “Mas estou feliz”, comentou a etiope, que correu pela primeira vez no Porto.

Ainda relativamente à edição deste ano da Maratona do Porto, destaque para a presença de mais de 15 mil inscritos, 43% estrangeiros, no total oriundos de 75 países.

FOTO: Facebook