Lisboa, Paris e Amesterdão tiveram este domingo as suas maratonas. Curiosamente, verificou-se novos tempos em todas as corridas, uma excelente notícia para este retorno dos 42,195 km.

Na Maratona de Lisboa, com início em Cascais e término na Praça do Comércio, o vencedor foi o etíope Andualem Belay Shiferaw, que correu a sua 20.ª Maratona. O vencedor da prova de 2019, quando registou o recorde da corrida até hoje (2h06m00), atacou no km 30 e só terminou na meta, com um novo tempo para a prova, 2h05m52.

«Lisboa é especial para mim», confessou no final Andualem Belay Shiferaw, que, após superar o recorde da prova, fez questão de comemorar o seu feito com o público presente. O etíope disse ainda que a lebre foi um «pouco lenta» no início, acreditando que pode correr a prova na casa das 2h04.

Nas posições seguintes ficaram o queniano  Hosea Kiplimo, com 2h07m39, e o compatriota do vencedor, Yihunligne Adane Amsalu, com 2h07m54.

No feminino, a vencedora foi a etíope Asayech Ayalew Bere com o tempo de 2h25m05. No pódio subiram ainda a compatriota Almaz Negede Fekade, com 2h27m12 (o seu melhor tempo era de 2h29m40) e a ugandesa Toroitich Linet Chebet, com 2h28m33 (tinha 2h32m52 como melhor registo).

Recorde-se que, na prova feminina, o melhor tempo foi alcançado em 2016 por Sarah Chepchirchir, com 2h24m13.

Maratona de Paris com novo melhor tempo

Já em Paris, novamente domínio completo dos africanos. No masculino, tivemos o triunfo do queniano Elisha Rotich, com 2h04m23, seguido do etíope Hailelmaryam Kiros, com 2h04m42, e o também queniano Hillary Kipsambu, com 2h04m45. De referir que, como aconteceu em Lisboa, este é o novo recorde da Maratona de Paris no masculino.

No feminino, o pódio foi totalmente dominado pela Etiópia, numa disputa entre as primeiras colocadas bastante renhida, com apenas 10 segundos entre as três: Tigist Memuye (2h26m12), Yenesh Dinkesa (2h26m15) e Fantu Jimma (2h26m22).

Maratona de Amesterdão com novo melhor tempo no masculino e feminino

Em Amesterdão, a queniana Angela Tanui alcançou o tempo de 2h17m57, o novo melhor tempo da corrida. Um tempo realmente bastante significativo, o que fez com que as suas perseguidoras ficassem para trás, concretamente a compatriota Maureen Chepkemoi (2h20m18) e a etíope Haven Hailu (2h20m19).

Nos homens, o etíope Tamirat Tola foi o mais forte com 2h03m37, também novo melhor tempo na prova. Subiram ainda no pódio o queniano Bernard Koech (2h04m07) e o etíope Leul Gebresilase (2h04m07). Há 11 anos que um atleta da Etiópia não vencia a Maratona de Amesterdão.