Uma das surpresas dos trials norte-americanos foi a qualificação de Abdi Abdirahman para os Jogos Olímpicos de Tóquio, aos 43 anos.

«A idade é apenas um número, mas eu não presto atenção a isso. Não me vejo como um atleta velho. Sou um corredor como qualquer outro, um atleta que sonha com a medalha de ouro em Tóquio», afirmou Abdi Abdirahman, que, nos trials dos Estados Unidos registou 2h10m03 e alcançou uma inesperada qualificação. «As pessoas costumam dizer que eu sou muito velho e não vou conseguir. Só respondo isto: “Tudo é possível na vida.”»

Apesar da confiança, Abdi Abdirahman reconhece no entanto que a idade limita o seu trabalho.

«Tudo é mais difícil com o passar dos anos: treinar, recuperar, manter o peso e alcançar o pico de forma. Antes demorava entre três e quatro semanas no regresso ao meu pico de forma, agora costumo levar entre dois e três meses.»

Um problema que não o desmotiva, muito fruto do seu passado:

«Aos 13 anos tive que fugir da guerra civil na Somália. É difícil sair de casa assim, sem saber onde podemos ir. Portanto, nunca vou agradecer a Deus o suficiente pela oportunidade de ter emigrado para os Estados Unidos.»

Abdi Abdirahman chegou aos Estados Unidos em 1990, sendo cidadão norte-americano dez anos depois. Estes serão os quintos Jogos do maratonista. As suas anteriores participações foram os seguintes:

  • Jogos Olímpicos 2012 – Maratona (desistência)
  • Jogos Olímpicos 2008 – 10.000 metros (15.º lugar)
  • Jogos Olímpicos 2004 – 10.000 metros (15.º lugar)
  • Jogos Olímpicos 2000 – 10.000 metros (10.º lugar)

No seu historial, Black Cactus, como é conhecido, alcançou a terceira posição na Maratona de Nova Iorque em 2017, registando o recorde do país no escalão 40-44 anos (2h11m34), que agora melhorou nos trials. Foi o mais velho corredor a subir no pódio da maratona mais famosa do mundo.

Recorde-se que o brasileiro Paulo Paula, de 42 anos, também alcançou a qualificação olímpica na Maratona (leia aqui). Com 40 anos, registou a sua melhor marca pessoal: 2h10m08, em Sevilha 2020.

FOTO: Instagram