Sally Van Nuland

Duas corredoras americanas, Sally van Nuland e Cherie McCafferty, acabam de fazer história ao participarem num evento virtual que as levou a correr uma milha (pouco mais de 1,6 km) em uma hora ao logo das 24 horas de um dia. O deafio terminou após 11 dias. No total, 392 quilómetros em qualquer coisa como 244 horas!

Numa altura em que as provas virtuais começam a estar na moda, tudo começou com Sally van Nuland e o seu noivo, Brandon Wilson, os quais viram nesta solução uma forma engenhosa de, em tempos de pandemia e confinamento social, reunir virtualmente os seus amigos corredores dispersos geograficamente.

Van Nulland já havia, de resto, completado uma prova do género, em que tinha corrido uma milha por hora durante 24 horas seguidas. Pelo que, realizando este mesmo desafio mas numa corrida virtual, seria possível determinar, por exemplo, o tempo e os quilómetros feitos pelos participantes.

LEIA TAMBÉM
Mentor da Barkley cria corrida virtual de 1000 km no Tennessee

Determinado, o casal organizou então um evento do género, completamente grátis, para um grupo de amigos, a grande maioria oriunda do sudeste dos EUA. Sendo que, em menos de uma semana, haviam convencido um total de 47 corredores.

Wilson, diretor e cronometrista certificado, fixou as regras básicas: cada corredor tinha de completar uma milha no exterior, com início a cada hora, registando-a em seguida na aplicação Strava ao mesmo tempo que a assinalava, com um “1”, num plano registado e disponível no Google.

Uma disputa feminina após cinco dias de prova

A verdade é que a maioria dos corredores acabou abandonando a competição com a chegada do fim-de-semana. Contudo, após três dias completos, ainda continuavam a correr cinco atletas.

Entretanto, destes cinco, uma das corredoras, Wendy Murray, acabou sendo obrigada a desistir devido à necessidade de regressar ao trabalho. Após cinco dias, ainda restavam três corredores, os quais já haviam então cumprido um total de 120 horas de corrida e 193 quilómetros.

Sally van Nuland e o seu noivo, Brandon Wilson. Foto: Facebook Sally van Nuland
Sally van Nuland e o seu noivo, Brandon Wilson. Foto: Facebook Sally van Nuland

À passagem da 127.ª hora, o último homem em prova, John Price, retirou-se da competição, deixando a decisão quanto ao vencedor nas mãos de duas mulheres: Sally van Nuland e Cherie McCafferty.

A polémica

O confronto entre as duas mulheres acabou durando 10 dias, altura em que, com a hora/milha 243, irrompeu também a controvérsia.

Após completar esta mesma milha, Van Nuland garante ter inscrito o “1” na folha de cálculo do Google e registado a corrida no Strava. No entanto, este não constava da folha quando McCafferty foi verificar.

Segundo Sally van Nuland, a razão dessa situação terá tido a ver com uma atualização da página, que Wilson estava obrigado a fazer. Mas o facto é que Cherie McCafferty fez, inclusivamente, um print da folha aquando da verificação, tendo-a enviado, em seguida, tanto à adversária como ao diretor e cronometrista da prova.

Desta forma, McCafferty deu início à milha/hora 244, acreditando que ganharia a competição caso conseguisse terminar mais esta etapa, já que não havia qualquer registo de que Van Nuland tivesse completado a milha/hora anterior.

Cherie McCafferty. Foto: Facebook Cherie Titus McCafferty
Foto: Facebook Cherie Titus McCafferty

Segundo rezam os testemunhos, McCafferty terá dado por concluída a sua prova acreditando que tinha ganho. Mas também com a ideia de que Wilson havia mudado o regulamento à última hora, de forma a beneficiar a sua noiva.

Entretanto, contatada para que, em conjunto com Van Nuland, regressasse à prova, McCafferty ter-se-á recusado.

Já Van Nuland continuou a sua prova, somando não somente a milha/hora 245, como, inclusivamente, acrescentando mais cinco horas ao seu pecúlio, terminando assim com um total de 250 horas, altura em que deu por concluída a sua participação.

Mas não sem polémica