Referência no fundo e, em particular, na Maratona, o Quénia vive uma situação difícil mas que muitos países gostariam de experienciar tem 137 atletas com os mínimos para os 42,195 km dos Jogos Olímpicos de Tóquio!

É caso para dizer que esta é uma dor de cabeça que muitos países gostariam de sentir, já que alguns nem têm atletas com os mínimos garantidos. Afinal, e não apenas no desporto, mais vale ter muito por onde escolher do que querer e não ter!

Há muito uma potência mundial, principalmente no meio-fundo e fundo, o Quénia tem até ao momento 137 atletas aptos a serem escolhidos para ocuparem uma das quatro vagas masculinas e quatro femininas para a Maratona olímpica, que terá lugar na cidade japonesa de Sapporo.

LEIA TAMBÉM
Sara Moreira e Jéssica Augusto no Aeroporto de Twente em busca do passaporte para Tóquio

No entanto, e infelizmente para a grande maioria, o facto de terem conquistado os necessários mínimos não lhes garantirá um lugar numa das três vagas existentes, seja entre os homens, com a formação a contar com três titulares e um suplente, como entre as mulheres, com os mesmos condicionalismos em termos de números.

Assim, e até para atenuar a pressão que certamente já se fazia sentir, o Comité Olímpico do Quénia decidiu escolher desde já os eleitos:

HOMENS

  • Eliud Kipchogue (2h01m39): detentor da melhor marca masculina da história
  • Lawrence Cherono (2h03m04): 7.ª melhor marca da história
  • Amos Kipruto (2h03m30): 11.ª melhor marca da história
  • Vincent Kipchumba (2h05m09): 64.ª melhor marca da história
Eliud Kipchoge

MULHERES

  • Brigid Kosgei (2h14m04): detentora da melhor marca feminina da história
  • Ruth Chepngetich (2h17m08): 4.ª melhor marca da história
  • Peres Jepchirchir (2h17m16): 5.ª melhor marca da história
  • Vivian Cheruiyot (2h18m31): 11.ª melhor marca da história

Data-limite era só a 31 de maio

A decisão do Comité Olímpico do Quénia surge como uma forma de aliviar a pressão sobre o organismo, apesar de ainda faltar mais de um mês do prazo para os atletas garantirem a qualificação para a Maratona dos Jogos Olímpicos de Tóquio, que termina a 31 de maio.

Recorde-se que existiam três formas de conquistar o direito a ser selecionado:

  • obter a marca mínima: 2 horas, 11 minutos e 30 segundos para os homens e 2 horas, 29 minutos e 30 segundos para as mulheres
  • estar entre os melhores nas eliminatórias realizadas em alguns países, como acontece nos Estados Unidos, por exemplo
  • ter uma posição no ranking mundial que permita o apuramento direto
Brigid Kosgei Quenia
Brigid Kosgei

Segundo avança o site www.letsrun.com, neste momento já se encontram qualificados atletas masculinos de 44 países, num total de 101 lugares à partida.

entre as mulheres, os números falam em 82 atletas oriundas de 42 países, das quais 77 conseguiram-nos através dos mínimos, ao passo que as restantes cinco garantiram-no através de trials ou eliminatórias.

A Maratona feminina dos Jogos Olímpicos de Tóquio está agendada para sábado, 7 de agosto, ao passo que os homens correm no domingo, dia 8.