A escolha do percurso da Portugal Countryside (mais de 1000 km em 14 dias, agendada para o próximo ano) não está fechado mas Paulo Garcia garante que o objetivo da organização é fazer com que todos os atletas terminem a prova, o que obriga a olhar para vários ângulos, como a segurança, o conforto e as sensações.

Como surgiu e escolha do percurso da Portugal Countryside?
Não há ainda uma escolha fechada, é um percurso em aberto. Portugal é tremendamente diversificado na paisagem, nos monumentos e tradições. No entanto, as nossas opções passaram por escolher locais que nos forneçam qualidade e quantidade de alojamentos. Há zonas do país onde há uma manifesta falta de unidades hoteleiras.
Como nos foi dado mais um ano estamos, a trabalhar em algo ainda mais especial. Teremos os mais de 1000 km, mas com alterações profundas ao que lançámos inicialmente. Teremos etapas mais equilibradas, mais cénicas e outras mais-valias no conforto e segurança dos participantes. Vamos aumentar as chances de mais pessoas concluírem o desafio.

O que poderiam falar desse mesmo percurso?
Espetacular! Único! São quase 1000 anos de história em 1000 km de caminhos, trilhos, ecovias, estradas nacionais, municipais, calçadas romanas, castelos, igrejas, conventos, praias fluviais, parques naturais, geoparques, montanha, planalto, planície, lezíria, arribas, rios, oceano… São 1001 vivências numa corrida.

Como foi pensada a elaboração das etapas?
O nosso principal objetivo é que todos terminem. Para isso, as etapas são olhadas por vários ângulos: segurança, conforto e sensações. Uma das sensações mais trabalhadas é a de progressão e isso dá um enorme trabalho na escolha do melhor caminho para ligar dois pontos. Não há pior sensação para um atleta do que perceber que anda às voltas, a enrolar, para chegar ao fim.

Mas o que tiveram em mente e qual o objetivo de cada uma?
Sensações! Esta é a palavra que nos guia. Não temos boas sensações, mudamos, vamos buscá-las noutros locais. E elas são dadas de diferentes formas para as várias personalidades da corrida. Cada um vive o mesmo espaço de maneiras diferentes, mas há espaços e situações que a maioria vive com a mesma intensidade. Digamos que é uma fórmula que precisamos de muitos anos para chegar a ela. Não vamos revelar.

LEIA TAMBÉM
Portugal Countryside: 1000 km para serem vividos em 14 dias

Poderiam resumir cada etapa?
São 14 etapas, 14 dias e mais de 1000 km para, em meia dúzia de linhas, resumir. São de tal modo distintas que teríamos que falar de forma individualizada. Podemos, por exemplo, estar no meio de uma vinha do Douro a olhar para a outra margem do rio completamente coberto de amendoeiras em flor. Ou estar num meio fortemente rural e, em poucos quilómetros, estarmos numa cidade cosmopolita e num hotel 5 estrelas.

O que o Paulo Garcia pode garantir que os corredores vão encontrar na Portugal Countryside?
Ui… Incontáveis paisagens, pessoas muito boas, locais marcantes e marcos da história de Portugal e do mundo.

Na quarta-feira, Paulo Garcia aborda como a sua equipa calcula os tempos de cada etapa, o que o deixa mais feliz, quantos atletas espera ter na primeira edição, etc.

LEIA TAMBÉM