Megan Youngren EUA

Depois da polémica envolvendo a campeã olímpica e mundial dos 800 metros Caster Semenya, obrigada a fazer um teste de género para assim confirmar a sua condição feminina, eis que um novo caso de definição de género promete voltar a abalar o desporto. Desta feita, porém, envolvendo a americana Megan Youngren, a primeira atleta transgénero a participar nos trials dos EUA para a Maratona, com vista à participação nos Jogos Olímpicos de 2020.

Nascida homem, Megan Youngren anunciou publicamente a sua mudança de sexo em 2012, mudança ocorrida depois de um ano a tomar medicação hormonal com vista a tornar-se definitivamente mulher.

Entretanto, e apenas um ano depois, Youngren começou a dedicar-se à corrida como forma de não só combater o aumento de peso, como também salvaguardar a sua saúde, abalada na sequência da toma de medicamentos hormonais destinados a ajudar à transformação do seu organismo de homem para mulher.

A conquista do passaporte

Graças também à dedicação colocada no desporto, a norte-americana acaba de concluir a Maratona Internacional da Califórnia no 40.º posto. Classificação que lhe permite marcar presença nas desejadas provas de selecção norte-americanas da Maratona, que apurarão os atletas que terão por missão representar os EUA nos próximos Jogos Olímpicos de Tóquio.

LEIA TAMBÉM
Atleta transgénero deixa campeonato em polvorosa nos EUA

Mesmo que não consiga ficar entre as eleitas para participar na Maratona dos Jogos Olímpicos de 2020, a verdade é que Megan Youngren, de 29 anos, já fez história: trata-se da primeira atleta transgénero norte-americana a conseguir o passaporte para as provas de apuramento para a Maratona!

Chris Mosier – o primeiro

Ainda assim, importa também dizer que Youngren não será a primeira atleta transgénero a participar nas provas de selecção norte-americana.

Atleta transgénero, Chris Mosier foi o primeiro a conseguir participar nos trials norte-americanos. No seu caso, o dos 50 km marcha
Atleta transgénero, Chris Mosier foi o primeiro a conseguir participar nos trials norte-americanos. No seu caso, o dos 50 km marcha

Esse feito foi alcançado por Chris Mosier, atleta que decidiu mudar de sexo, de mulher para homem, e que conseguiu participar nos trials dos 50 km marcha, em 2015.

Mosier não ficou, de resto, por aí, uma vez que conseguiu, inclusivamente, fazer parte da selecção norte-americana de duatlo e triatlo.