Figura de destaque no triatlo mundial, o alemão Jan Frodeno é um dos atletas de ponta que deixou de comer carne há já alguns anos. Numa entrevista recente, o campeão do mundo IRONMAN aceitou explicar porquê.

Sem comer carne há já quatro anos, Jan Frodeno é um entre vários triatletas profissionais de projeção mundial que, um dia, tomaram opção de não comer mais carne. Entre estes estão nomes como Patrick Lange e Eneko Llanos, dois confessos apoiantes da causa animal, ou ainda Lionel Sanders, o qual, a exemplo do alemão, tomou esta decisão com base no rendimento.

LEIA TAMBÉM
Patrick Lange, bicampeão mundial Ironman… e vegetariano

«Não como carne há quatro anos», confessa Frodeno, defendendo, do alto dos seus 38 anos e uma carreira recheada de êxitos, que «uma dieta adequada é um tema a longo prazo para mim».

«Atribuo parte dos meus bons resultados a uma boa nutrição. Para isso, e naturalmente, não posso comer um porco assado ao almoço ou à noite e achar que posso correr ao meu melhor nível», acrescentou o alemão, recordando que «sempre fui uma pessoa que gostava de comer».

«Houve mesmo alturas em que treinava um pouco mais para poder comer um pouco mais. Era toda uma espécie de motivação.»

No entanto, e ainda no início do carreira, «decidi investir o pouco dinheiro que tinha em comer bem porque comecei a dar-me conta de que me sentia melhor quando fazia uma alimentação correta», afirmoi à revista Focus.

jan Frodeno Triatlo Ironman

Quanto ao abandono definitivo da carne, Jan Frodeno recorda que foi há quatro anos, em 2016, «após o incidente envolvendo o jogador de ténis de mesa Dimitrij Ovtcharov, o qual acusou positivo a Nandrolon devido a uma contaminação da carne que comeu».

Recordando também o caso do ciclista Alberto Contador, que acusou positivo e disse ter sido da carne que havia comido, Frodo ironiza e diz que «sou vegetariano para não ser o próximo Contador», já que, hoje em dia, «todos sabemos que, se acusas positivo e dizes que foi da carne, ninguém acredita».

«Ganho a vida com o desporto e tenho de alimentar a minha família. Eu gostava de carne, mas a verdade é que não é a opção mais lógica», comenta o alemão, que aponta também as diferenças desde que deixou de comer carne.

LEIA TAMBÉM
Triatleta alemão propõe-se realizar um IRONMAN dentro de casa

«A partir do momento em que tomei a decisão, o meu estômago ficou muito mais forte», ao mesmo tempo que «necessito de dormir menos, já que, ao eliminar a carne da digestão, o meu corpo assimila menos stress».

«A verdade é que fazer a digestão da carne é um processo extremamente difícil para o estômago, o qual necessita de muita energia para conseguir decompor a carne

Assim, hoje em dia, Jan Frodeno tem uma dieta à base de verdura e peixe, opção que lhe trouxe «menos flacidez durante o dia, além de que necessito de menos uma hora de sono».

«Aliás, e perante os resultados que obtive, só posso recomendar às pessoas que experimentem», conclui o campeão do mundo IRONMAN.