Numa altura em que muitos organismos e entidades procuram adaptar-se à nova realidade, a organização responsável pelo IRONMAN acaba de divulgar o seu novo protocolo, que servirá de base à realização das várias etapas desta competição de ultra-distâncias de triatlo.

Com o confinamento a ser finalmente levantado em várias latitudes do mundo, a organização do Mundial IRONMAN começou já a tratar do reagendamento de muitas etapas, cuja realização estava ameaçada pela pandemia de coronavírus. A mais recente a receber nova data foi precisamente o IRONMAN Cascais, entretanto reagendado para 7 de novembro.

Contudo, e porque isso depende também a vontade dos atletas voltarem a competir, a organização do IRONMAN acaba de anunciar, igualmente, a conceção de um novo protoloco de regras e boas práticas de aplicação obrigatória em todos os eventos da modalidade.

«Baseadas naquelas que são as directrizes da OMS [Organização Mundial de Saúde], mas também de acordo com os princípios do Conselho Assessor Médico Global do IRONMAN, este novo protocolo foi desenhado de forma a permitir que os triatletas IRONMAN e IRONMAN 70.3 se organizem de forma consistente», lemos, em comunicado, o organismo.

LEIA TAMBÉM
IRONMAN Cascais adiado para 7 de novembro de 2020

Ainda segundo anunciou o IRONMAN, este novo protocolo é balizado por algumas guidelines elaboradas também segundo os inputs recebidos das várias federações de triatlo, que se focam nas seguintes áreas:

  • Higiene melhorada
    Resultado deste novo protocolo, passa a ser obrigatória a disponibilização nas provas de desinfetantes para as mãos, locais de lavagem das mãos e toalhitas desinfetantes. A limpeza das áreas comuns também deverá ser melhorada, ao passo que o pessoal de apoio e voluntários ficam obrigados a utilizar máscara e luvas. Os próprios atletas receberão, com o seu kit de boas-vindas, máscaras que estarão obrigados a usar em determinadas zonas mais frequentadas do evento
  • Controlo de temperatura
    Cumprindo aquilo que é uma determinação da OMS, todas os envolvidos, em qualquer uma das etapas do IRONMAN, são proibidos de participar no evento caso registem uma temperatura acima dos 38 graus. Ao mesmo tempo, será prestada formação em termos de Saúde, Higiene e Segurança a todo o pessoal e voluntários
  • Diminuição da densidade
    «Vamos implementar medidas que permitam aumentar o espaço entre os triatletas e o pessoal de apoio nas zonas mais concorridas dos eventos», anunciou a organização, acrescentando que esta medida afetará o início da natação, as transições e as metas. Além disso, poderão vir a ser suprimidos momentos como os banquetes ou as cerimónias de boas-vindas
  • Redução dos pontos de contato
    É intenção da organização do IRONMAN reduzir, ou até mesmo eliminar, os pontos de interação entre pessoal da organização, atletas, e voluntários, nomeadamente através da reconfiguração das diferentes áreas dos eventos, assim como de algumas zonas da corrida e de possíveis ajuntamentos
  • Auto-suficiência do desportista
    Também como forma de reduzir as interações, a organização do IRONMAN propõe que as provas sejam, sempre que possível, cumpridas sob o princípio da autossuficiência,  ou seja, que os atletas levem consigo todas as calorias de que necessitam. Quanto à hidratação, a proposta passa por os atletas passarem a utilizar coletes de hidratação

Segundo a organização, a implementação destas e de outras práticas de segurança nos eventos IRONMAN e IRONMAN 70.3 poderá ajudar a eliminar até cerca de 90% da necessidade de contato e interações entre atletas, fazendo assim diminuir os riscos de propagação, não apenas entre atletas, como entre todos os elementos envolvidos neste fenómeno desportivo.