Hermano Ferreira terminou a Road Invitational de Dresden na sexta posição, alcançando a sua segunda melhor marca de sempre na Maratona, embora tenha falhado o objetivo do mínimo olímpico.

Na sua página do Facebook, Hermano Ferreira destacou a «forma diferente do normal» no qual correu a Maratona de Dresden, já que correu num circuito fechado  «de 16 voltas grandes e 2 pequenas». 

O português ressaltou que fez a sua segunda melhor marca pessoal de sempre, concretamente 2h13m57, terminando a prova na sexta posição. Objetivo alcançado?

«Não era, mas foi o que consegui, graças ao meu esforço, dedicação, empenho, resiliência e teimosia, sim, muita teimosia.»

Hermano Ferreira aproveitou para agradecer o «apoio de todos», familiares, amigos e patrocinadores, desde que decidiu preparar mais uma Maratona e que «queria dar um resultado ainda melhor».

LEIA TAMBÉM
Americana torna-se na 17.ª pessoa no mundo a fazer 100 corridas de 100 milhas

No entanto, Hermano Ferreira deixou um aviso ainda em Dresden:

«Se fico por aqui? Sabem a reposta, quem me conhece bem.»

No final, um agradecimento especial ao treinador, Rui Silva, «por me ajudar que é possível mesmo com 38 anos. Seguimos juntos».

Recorde-se que a melhor marca de Hermano Ferreira, atleta do Casaense – Escola de Atletismo de Coimbra na Maratona, é de 2h13m28, tempo obtido em Viena, Áustria, a 18 de abril de 2010, e que o mínimo olímpico está em 2h11m30.

Este foi o melhor registo de um atleta português desde 2016 (2h13m21, de Ricardo Ribas).

A prova foi ganha pelo alemão Simon Boch, que fez a sua estreia na Maratona aos 26 anos. O germânico terminou com o tempo de 2h10m48, à frente do belga Soufiane Bouchikhi, com 2h12m39. A prova feminina foi ganha por Anna Bankowska, com 2h31m16.

Hermano Ferreira na Maratona de Dresden
Hermano Ferreira na Maratona de Dresden