Por vezes, o desejo de evoluir, de melhorar, de ser cada vez melhor atleta leva-nos a colocar em perigo a nossa própria saúde, ficando à beira do esgotamento extremo. No entanto, e porque o organismo nunca deixa de avisar, tenha atenção a estes 10 sinais.

Especialmente entre os atletas mais experientes – e nós já o dissemos aqui por diversas vezes -,  uma das certezas indiscutíveis é a de que o descanso é tão importante quanto o treino, a alimentação e a força psicológica.

No entanto, e mesmo cumprindo esta máxima, a verdade é que todos nós temos fases em que a saturação, o cansaço acumulado, a desmotivação ou até mesmo o stress fazem muitas vezes soar as campainhas de alerta de que é necessário parar.

Conheça dez dos sinais de alerta para o esgotamento:

  • Diminuição do rendimento físico
    Se, por razões inexplicáveis, começa a somar dias de maus treinos e resultados, então esse pode ser um dos dez sinais de que falamos e que alertam para que algo se está a passar
    Solução: Tire um ou dois dias de descanso do treino, procure dormir mais horas, comer um pouco melhor, divertir-se de uma forma que não seja através da atividade física. Se ainda assim as coisas não melhorarem, então o nosso conselho é que não deixe de procurar um médico, fazer análises e, finalmente, sentir-se descansado por estar tudo bem.

LEIA TAMBÉM
Capacidade aeróbica: saiba como melhorá-la

  • Perda de força e velocidade, com a recuperação a ser igualmente lenta
    Esta é uma situação que poderá ter motivos distintos, seja porque sente que há algo que não está bem e que não está a conseguir os mesmos resultados de alguns dias atrás, seja porque, com o avançar da idade, também sente que está perdendo força e velocidade, assim como capacidade de recuperação
    Solução: Nomeadamente no caso da idade, é algo natural, não tendo de ser necessariamente negativo. Simplesmente há que perceber os ritmos do organismo, dar mais tempo de descanso e não deixando de fazer algum descanso ativo
  • Dores musculares e articulares durante o repouso
    Se começa a notar que tem dores por todo o corpo ou nas articulações, mesmo sem ter feito esforços exagerados ou fora do habitual, este pode ser sinal quanto a um potencial esgotamento…
    Solução: É preciso parar, descansar pelo menos uma semana no máximo, continuando a fazer alguns alongamentos suaves, fisioterapia, natação relaxada, etc. E se ainda assim continuar, é recomendável uma consulta médica para despistar problemas articulares, artrite, artrose, reumático, intolerâncias alimentares, etc.
  • Aparecimento de cãibras e roturas musculares
    Especialmente quando este tipo de problemas surge frequentemente, o organismo pode estar a pedir descanso. É necessário tentar perceber o que está a acontecer, já que, se continuar a treinar com intensidade, tal pode levar a roturas musculares, especialmente se houver stress físico ou já tiver passado a barreira dos 40 anos
    Solução: Caso continue a treinar, dê mais atenção ao aquecimento, assim como aos alongamentos após o treino. Ao mesmo tempo, não se esqueça da hidratação, dos sais minerais, de uma alimentação equilibrada. No caso de estar a atravessar uma fase de maior stress, procure relaxar e fazer 5 minutos de exercícios de respiração e relaxamento antes de começar, para que os músculos relaxem e a mente limpe. E se, ainda assim, as cãibras continuarem, não persista e pare uma semana ou duas
  • Níveis baixo de oxigénio no sangue
    Se suspeitar que algo se passa, se tem o pulso mais acelerado do que o normal ou se sente palpitações e taquicardias, falta de ar ou cansaço anormal, então o momento é de parar
    Solução: Nestes casos, o mais normal é que possa estar na presença de uma anemia, pelo que o aconselhável é que marque uma consulta com o seu médico para que faça exames e tenha o tratamento adequado
  • Ritmo cardíaco excessivamente elevado
    Nestas situações, o problema poderá estar na dificuldade de garantir o necessário oxigénio ao organismo ou ainda em hipertensão, abuso de bebidas com cafeína e estimulantes, stress, falta de sono ou treino demasiado intenso sem o necessário descanso
    Solução: Desde logo, parar, ir ao médico, evitar estimulantes e dormir bem
Um ritmo cardíaco excessivamente elevado é um dos 10 sinais que podem indicar o aumento do risco de esgotamento
  • Excessiva perda de peso sem explicação
    Embora todos nós sejamos diferentes, quando tanto o corpo como a mente chegam a um ponto de esgotamento, pode acontecer que comecemos a perder peso em excesso, mesmo sem deixar de comer e treinar como habitualmente. Já as pessoas com tendência para engordar tendem a ganhar peso e a sentir-se mais cansadas
    Solução: Parar, descansar, mudar a alimentação por outro tipo igualmente equilibrado e, nos casos mais extremos, ir ao médico
  • Problemas digestivos
    Se for o caso de ter digestões demasiado lentas, inflamação abdominal, dor, pontadas, prisão de ventre, diarreia, gases, etc. de uma forma regular, é sinal de que algo está errado, até porque, e como muitas vezes se diz, o estômago é o nosso segundo cérebro
    Solução: É importante que dê descanso, tanto ao corpo como à mente, aprendendo a relaxar através de exercício de respiração, yoga e dormindo mais. Reveja os seus hábitos alimentares, procure comer pouco mas 4 ou 5 vezes por dia, sentado e sem a pressão de calças demasiado apertadas e tecnologias. Se ainda assim o problema persistir, é chegado o momento de ir ao médico
  • Dores de cabeça, visão turva, tiques nervosos e alucinações
    Embora apareçam apenas nas situações mais extremadas e de modo pontual, estes sintomas são sinal de esgotamento físico e mental, muitas vezes por stress extremo e falta de sono
    Solução: Pare, faça uns dias de descanso, até mesmo uma semana inteira, tente esquecer as preocupações e, caso possa, viaje, de preferência para um lugar tranquilo e próximo da natureza de forma a esquecer os gadjets electrónicos e o wi-fi. Mas se ainda assim estes sintomas estão a tornar-se mais frequentes, o indicado é ir imediatamente ao médico para despistar problemas mais sérios
  • Mau-humor, alterações de carácter, falta de desejo e apetite sexual
    O treino excessivo, tal como o trabalho, não favorece a produção de endorfinas, pelo contrário, faz-nos perder essas substâncias relacionadas com a sensação de felicidade e bom-humor. Se você próprio percebe que anda mal-humorado, que só lhe apetece estar na cama, que já nem tem vontade de sair e conviver, então é muito possível que a causa seja exaustão física e mental
    Solução: Uma solução é deixar de fazer treinos longos e intensos que o deixam sem energia para o resto do dia, organizar melhor o seu dia, descansar e dormir melhor, relaxar, respirar, comer bem. Em suma, desfrutar a vida, a família ou a cara-metade.