Jogos Olímpicos Tóquio 2020

Numa altura em que, tanto a UEFA como a CONMEBOL anunciam o adiamento das principais competições de seleções, o COI veio garantir, pela voz do seu presidente, que os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 vão mesmo realizar-se. E na data marcada!

A garantia foi deixada, de resto, numa carta do presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, a todos os desportistas, na qual o líder da entidade fez questão de dirigir-se a todos aqueles que têm vindo a preparar-se afincadamente para os Jogos «como [atleta] olímpico que sou».

«Sei bem como se sentem», afirma Thomas Bach na missiva, defendendo que «sei que todos vocês só se querem concentrar na competição e no treino, sem nada que os distraia da preparação para os Jogos de Tóquio. Infelizmente, o coronavírus é uma preocupação importante para todos nós».

LEIA TAMBÉM
JO2020: COI já tomou decisão definitiva quanto à Maratona

Apesar disso, o presidente do COI também faz questão de reafirmar «o total compromisso» de inaugurar os próximos Jogos Olímpicos na data prevista, concretamente no dia 24 de julho. Ainda que, admite, «a decisão obrigue a muita flexibilidade da parte dos atletas, comités olímpicos nacionais e federações internacionais» devido ao cancelamento de muitas provas que serviriam de palco para a obtenção dos mínimos para Tóquio 2020.

«Muitos de vocês tiveram mesmo de alterar o vosso programa de treinos e competição, até mesmo as viagens, devido às mudanças de última horas e restrições de movimento. Pessoalmente, quero agradecer-vos pela vossa flexibilidade e solidariedade, que constituem o verdadeiro espírito olímpico»

Também por esse motivo, o presidente do COI promete um sistema de qualificação «justo, nas atuais circunstâncias», e convida, por isso, os atletas a «seguir em frente» com os seus programas, pois «dessa forma a comunidade olímpica voltará a unir o mundo numa competição em paz».

O COI continua sendo dos poucos organismos internacionais a manter a sua competição, apesar do surto de coronavírus
O COI continua sendo dos poucos organismos internacionais a manter a sua competição, apesar do surto de coronavírus

De referir que, a par da carta aberta, escrita pelo presidente do COI aos atletas, o Comité Olímpico defendeu ainda, após uma reunião com as federações internacionais, que, face aos quatro meses que ainda faltam para o início dos Jogos, não existe a necessidade de «tomar medidas drásticas» e é possível manter a data inicialmente estipulada.

Ainda assim, o COI decidiu divulgar um guia, não apenas com uma atualização sobre o impacto do coronavírus nos torneios olímpicos de qualificação, mas também com um conjunto de «perguntas e respostas mais frequentes», sobre o COVID-19, da responsabilidade do diretor médico do COI, o britânico Richard Budgett.  

LEIA TAMBÉM