Continuam as repercussões da morte de 21 ultrarunners na China: os responsáveis governamentais pelo Desporto na China já decretaram o cancelamento ou adiamento de, pelo menos, 60 maratonas e corridas de Trail.

A notícia está a ser avançada pela imprensa internacional, na sequência da morte de 21 corredores de ultradistância na Huanghe Shilin Mountain Marathon, que, mais uma vez, se realizou na Floresta de Pedra do Rio Amarelo. Tudo devido ao surgimento repentino de mau tempo.

A decisão de suspender todas estas provas tem na base as preocupações com a forma algo desregulada como o número de provas de corrida têm vindo a crescer na China.

No entanto, entre as mais de 60 maratonas e provas de Trail canceladas ou adiadas na China, estão também eventos internacionais, como é o caso da Maratona Internacional de Lanzhou, que estava agendada para 13 de junho, em Gansu, a qual, embora realizada sob a égide da World Athletics, já não se irá realizar, garante a agência noticiosa chinesa Xinhua.

LEIA TAMBÉM
China: pastor salvou não um, mas seis corredores de corrida fatídica

Aliás, e no entender das entidades governamentais, a China vive atualmente aquilo que estes responsáveis designam de a febre da Maratona e que está a obrigar o executivo a condicionar fortemente o exercício físico para todas as faixas etárias.

De resto, notícias surgidas na comunicação social chinesa avançam, com base em informações fornecidas pela Associação de Atletismo da China, que o país teve 40 vezes mais maratonas em 2018 do que em 2014.