Foto: Pixabay

Hoje em dia um dos exercícios presentes em muitos planos de treinos da corrida, os burpees têm vantagens que muitos desconhecem. Motivo pelo qual decidimos recordar o que são e quais os principais efeitos deste exercício.

Comecemos pelo básico: o que é e como surgiu o burpee. Sobre o nascimento deste exercício propriamente dito, é possível dizer que foi criado por um fisiologista norte-americano, Royal Huddleston Burpee, decorria a década de 1930.

Descrito como um exercício corporal de flexão com salto, vulgarmente utilizado em treinos de força e exercícios aeróbicos, o burpee é uma prática realizada apenas com o peso do próprio corpo e especialmente indicada para ajudar a emagrecer, definir músculos e aumentar a resistência cardiorespiratória. Um exercício que junta, à queima calórica, o fortalecimento muscular.

Embora sendo encarado como um exercício único, o burpee inclui, na sua realização, três exercícios: flexão dos braços, agachamento e salto. Exatamente nesta sequência, sendo que o atleta deve começar sempre de pé e de costas direitas.

Quais os efeitos do burpee?

Chegados a este ponto, acreditamos que o melhor mesmo será dar voz aos  testemunhos de atletas que sentiram os efeitos dos burpee.

É o caso de Danielle Zickl, uma jovem atleta amadora que, num depoimento à Runner’s World, recorda que começou por fazer três séries de 10 burpees por dia, durante 15 dias seguidos. Isto com um minuto de descanso entre cada série nos primeiros três dias, tempo a que foi retirando 15 segundos a cada três dias, terminando os últimos três dias a fazer os 30 burpees seguidos e sem qualquer intervalo entre séries.

Terminados os 15 dias seguidos de burpees, a maior parte realizados logo após o acordar, cerca das 07h30, a atleta assinalou três aspectos evidentes, um deles diretamente relacionado com as sua corrida:

  • Melhorou a corrida, passando não só a conseguir fazer um ritmo mais rápido que os 9 minutos por milha (1.609 m) que realizava até aí, como também a correr mais que os 5 km que tinha por hábito fazer, todos os dias, após o trabalho
  • Tinha mais energia do que o habitual, o que seu médico justificou com o aumento de endorfinas que o esforço extremo dos burpees liberta, com efeitos muito positivos  quando feito logo pela manhã
  • O progresso não é linear, sendo que houve dias, como o oitavo dia de burpees, em que Danielle afirma que parecia estar a começar do zero no esforço. Algo que o seu médico explicou com o facto do corpo estar, nesses momentos, a esforçar-se por se adaptar não só ao exercício, mas também a fatores externo e momntâneos, como terá sido o número de horas que a atleta dormiu na noite anterior
  • Sentia-se cada vez com mais força, não apenas física, mas também mental.

LEIA TAMBÉM
A importância da força explosiva no treino da corrida (e não só…)

No seu depoimento, Danielle recorda ainda que, após duas semanas de burpees, decidiu dar um pouco de descanso ao corpo, o que levou a que não demorasse muito para que o seu organismo sentisse falta do exercício que realizava todos os dias.

Hoje em dia já retomou os seus exercícios e, embora assuma não saber se vai continuar com os burpees até ao final dos seus dias no seu plano de corrida, destaca a energia e motivação que sente todas as manhãs para manter esta prática e enfrentar o dia-a-dia.