O triatleta irlandês Ben Shaw acaba de anunciar a sua retirada da modalidade após conhecer a sanção de quatro anos de suspensão na sequência de um controlo anti-doping positivo por ingestão de substância proibida, concretamente o Ligandrol.

Nascido na Austrália, Ben Shaw optou, de resto, por não dar qualquer explicação sobre o sucedido, tanto à Triathlon Ireland como à Sport Ireland, tendo-se negado igualmente a exercer o seu direito de apresentar argumentos para o controlo anti-doping positivo.

A análise positiva de Shaw aconteceu no passado dia 22 de julho, numa prova realizada na Austrália, tendo o irlandês acusado Ligandrol.

LEIA TAMBÉM
Vencedora do PT281+ regista recorde mundial a correr numa passadeira durante 48 horas

O Ligandrol é um medicamento ainda em desenvolvimento, destinado para situações de atrofia muscular e osteoporose.

Atualmente, vende-se como «um produto bioquímico de investigação», capaz de aumentar a massa muscular magra. No entanto, está proibido devido a «efeitos anabólicos de construção muscular», refere a Agência Anti-Dopagem dos Estados Unidos  (USADA).

Foto: Ben Shaw Facebook

Segundo é possível ler na ficha de atleta do australiano de 28 anos, na World Triathlon, Shaw disputou, em fevereiro último, a Taça da Oceania de Triatlo Sprint da OTU, em Devonport, tendo terminado na 21.ª posição.

em 2019, Shaw competiu num total de oito provas de triatlo a nível mundial, incluindo a Taça do Mundo de Triatlo de Montreal, que acabou por abandonar.

Nesta altura, Ben Shaw é 327º classificado no ranking mundial da ITU e 228º no ranking da classificação olímpica.