Hoje, 11 de fevereiro, comemora-se o centenário do nascimento de um dos nomes fundamentais para o Atletismo português, Moniz Pereira, considerado por todos o Senhor Atletismo.

Mário Alberto Freire Moniz Pereira, Moniz Pereira, Senhor Atletismo. A importância deste nome para Portugal foi fulcral para a evolução da modalidade no nosso país, como refere o site da Federação Portuguesa de Atletismo (FPA), que ressalta os vários rostos do homenageado: atleta (praticou andebol, basquetebol, futebol, hóquei em patins, ténis de mesa, voleibol e Atletismo), professor (durante 27 anos na atual Faculdade de Motricidade Humana), treinador e dirigente, no Sporting e na seleção nacional. 

Mas o Senhor Atletismo também teve um rosto artístico, já que «foi autor de 114 músicas e algumas letras de fados interpretados por nomes como Amália Rodrigues, Lucília e Carlos do Carmo, Carlos Ramos, Tony de Matos, Fernando Tordo, João Braga, Camané, Paulo de Carvalho, Maria da Fé, Rodrigo e Maria Armanda».

«Mário Moniz Pereira revolucionou o meio fundo português, ao ponto de se poder afirmar que foi “um fazedor de campeões”, entre os quais: Carlos Lopes, Fernando Mamede, Domingos Castro e Dionísio Castro», podemos ler no site da FPF.

Ao longo da sua invejável carreira, o Senhor Atletismo revolucionou a modalidade quando idealizou o projeto de preparação olímpica para os Jogos de Montreal, agendados para 1976. 

Nele, Moniz Pereira solicitava ao Governo que os 13 atletas selecionados fossem dispensados dos seus trabalhos para poderem realizar treinos bidiários. 

«Tratava-se, pois, de dispensar os pré-selecionados de meio dia de trabalho, uma ideia pioneira à época, mas que, tal como a maioria das ideias de Moniz Pereira, se revelou certeira, quando o objetivo é apontar às medalhas.»

No total, e como técnico nacional, Mário Moniz Pereira participou em 12 Jogos Olímpicos, 13 Campeonatos da Europa e 21 Campeonatos do Mundo de Cross, conquistando 10 medalhas por sete atletas, entre as quais quatro de ouro, as únicas do desporto português.

Na Pista Prof. Moniz Pereira, no Lumiar, uma frase resume muito da filosofia do Senhor do Atletismo: «Há treino todos os dias

E a sua vida foi sempre assim, um treino todos os dias. Só assim é possível vencer, não só nas pistas, mas também na vida…

Recorde-se que Moniz Pereira morreu no dia 31 de julho de 2016.

Foto: FPA/Luciano Reis