Sondre Moen estabeleceu recentemente o recorde europeu da hora e dos 20000 metros em pista mas o registo não será homologado devido aos ténis Vaporfly NEXT%.

Recorde-se que a World Athletics anunciou que sapatilhas com uma altura de meia-sola superior a 25mm estavam proibidas de serem utilizadas em pista. Como o revolucionário ténis da Nike apresenta 40mm na zona do calcanhar, o tempo alcançado por Sondre Moen não vai ser homologado pela entidade que rege o Atletismo mundial.

«O recorde não será aprovado. As sapatilhas utilizadas não cumpriam as regras. Os corredores foram informados desta questão atempadamente», revelou ao jornal Fædrelandsvennen o chefe do departamento de comunicação da World Athletics, Yannis Nikolaou.

Uma decisão que já foi comentada por Moen, que, mesmo desconfiado, acabou por correr mesmo assim com a Vaporfly NEXT%.

«É verdade, o recorde será riscado. Tive de imediato a impressão de que o registo seria rejeitado e portanto acabei por não desfrutar tanto quanto devia quando o alcancei. A única coisa positiva disto tudo foi ter conseguido testar a minha forma. Quebrei as regras e sinto que até fiz algo de ilegal. É esse o meu sentimento. Talvez seja essa a intenção deles, mas isto é apenas desporto e muitos já fizeram bem pior do que eu. Mas claro que é uma pena este trabalho todo não ter uma recompensa. Não sei se deva assumir as culpas ou atribuí-las a outros. Prefiro sentir-me inocente, mas a World Athletics quer que eu admira que quebrei as regras.»

Recorde-se que, além de ter superado o recorde da hora europeu (21.131 metros), Sondre Moen também superou o registo dos 20000 metros (56m53s2), que estava (e deste modo continua…) na posse de Dionísio Castro (57m18s4).

LEIA TAMBÉM
Sondre Moen supera recorde europeu da hora e dos 20000m em pista de Dionísio Castro

Nota ainda para o dinamarquês Thijs Nijhuis, que, ao saber das novas regras da World Athletics e o impedimento de utilizar o Vaporfly NEXT% como fez Moen, comprou na véspera um modelo de acordo com a nova regulamentação. Deste modo, o seu registo, de 19.872 metros, será ratificado pela entidade, um registo que significa um novo recorde do seu país: 19.872 metros.

«É uma loucura começar uma época e alterar as regras a meio, tornando-as vagas e que podem ser interpretadas de várias formas. Não temos de ser nós a decidir se é certo ou errado. E, quando nem a World Athletics é explícita, torna-se muito complicado», criticou o dinamarquês.