A queniana Peres Jepchirchir é a nova campeã do mundo de Meia-maratona e, o que é melhor, com um recorde do mundo numa prova disputada apenas por mulheres. Sara Moreira terminou no Top 40.

Numa final eletrizante entre três atletas, concretamente entre Jepchirchir, a etíope Yalemzerf Yehualaw e a alemã Melat Kejeta, a queniana foi a atleta mais forte após um sprint fulgurante, deixando a europeia e a africana nas seguintes posições, respetivamente.

O triunfo de Jepchirchir aconteceu nos últimos 300 metros, suficientes para registar 1h05m16, novo recorde do mundo da distância em provas apenas com atletas femininas. O anterior registo, que estava na sua posse, de 1h05m34, foi alcançado em setembro do ano passado. Já Melat Yisak Kejeta registou mais dois segundos e Yalemzerf Yehualaw mais três.

Além do recorde do mundo, a prova ficou marcada pelas diversas quedas verificadas ao longo do trajeto, entre elas a de Joyciline Jepkosgei, uma das favoritas, e Yeshanet no km 17, colocando um ponto final em qualquer hipótese de triunfo. Mas também a etíope Gudeta, que defendia o seu triunfo, teve problemas no circuito…

Sara Moreira foi 39.ª no seu dia de aniversário

Entretanto, Sara Moreira, campeã em 2016, foi a melhor atleta portuguesa, ao registar 1h11m39, precisamente no dia que completou 35 anos.

Jessica Augusto correu os 21,097 km em 1h15m29, ocupando o 82.º lugar.

Nota ainda para a brasileira Andrea Hessel, que alcançou o seu melhor tempo na distância, 1h14m41, terminando na 76.ª posição. Já Valdilene Silva terminou no 94.º lugar, com 1h18m58.