Segundo homem mais rápido do mundo na Maratona, Kenenisa Bekele é um dos ídolos do Mundo da Corrida e por isso o seu documentário, disponibilizado pela sua equipa, a NN Running Team, é simplesmente obrigatório.

«A minha carreira tem sido uma incrível jornada para mim, para a minha família e para todos que me ajudam. Espero que se divirtam com este documentário e que recordem algumas das minhas memoráveis corridas. Obrigado pelo carinho ao longo destes anos», escreveu Bekele na sua conta do Instagram.

LEIA TAMBÉM
Documentário revela a importância do “longão” para Kipchoge, Bekele, Kamworor e Cheptegei

No documentário de Bekele, com cerca de 15 minutos e ideal para vermos neste período de pandemia, o etíope recorda alguns dos seus grandes momentos, mas o principal mérito do documentário é conseguir mostrar um pouco do homem Bekele, um atleta que, ao contrário de Eliud Kipchoge, não consegue ter a mesma empatia popular que o queniano.

Recorde-se que o etíope, na Maratona de Berlim, em 2019, esteve muito próximo de igualar o recorde mundial de Kipchoge, o que não conseguiu por dois segundos. Na ocasião, correu a prova a 2h01m41.

O etíope Kenenisa Bekele é hoje uma das referências do Mundo da Corrida e recordista mundial nos 5000 (12m37s35) e 10 000 metros (26m17s53), além de somar três títulos olímpicos, duas nos dez mil (Atenas 2004 e Pequim 2008) e uma nos 5 mil metros (Pequim 2008. Tem ainda a prata em Atenas 2004).

Recorde-se que, recentemente, a também campeã olímpica Tirunesh Dibaba e Kenenisa Bekele participaram de um evento virtual que teve como objetivo arrecadar fundos na luta contra o coronavírus na Etiópia.

«Acredito que estamos a sair desta tempestade. A humanidade já sobreviveu a muitos desastres importantes, mas não será fácil sair deste», afirmou Bekele durante o evento, que foi acompanhado por milhares de pessoas em todo o mundo (leia aqui).