Um tribunal das Astúrias, Espanha, acaba de condenar os organizadores do Trilho dos Pastores de Portudera, em Espanha, ao pagamento de uma indemnização no valor 61.382 euros a um atleta que sofreu um acidente durante a prova. Segundo entendeu o tribunal, por culpa de uma sinalização negligente do percurso da corrida.

Conhecida como uma prova extremamente dura, com um total de 40 km e 8.560 m de desnível, a última edição do Trilho dos Pastores de Portudera acabou ficando marcado por um incidente grave protagonizado pelo atleta Jokin Lizeaga.

Numa das zonas do percurso, o basco viu o solo fugir-lhe literalmente debaixo dos pés, caindo numa cavidade de 18 metros de profundidade. O local não estava assinalado, uma vez que se encontrava escondido pela neve.

LEIA TAMBÉM
Ultra Trail de Tarragona terá uma prova de 322 km em 2022

O acidente acabou quase custando a vida a Lizeaga, o qual ficou com ferimentos graves, acabando por exigir uma indemnização à organização do evento pelos dando sofridos.

Entretanto, um tribunal das Astúrias acaba de proferir a sua sentença relativamente ao caso, condenando a organização da prova de conduta negligente e obrigando-a a pagar uma indemnização no valor de 61.382 euros.

A decisão, que é pioneira no domínio da responsabilidade civil pelos danos decorrentes de acidentes durante uma corrida de montanha e que ameaça, agora, fazer jurisprudência neste domínio, sustenta-se na argumentação de que a organização da prova realizou uma sinalização negligente do percurso da corrida, permitindo que o abismo em questão ficasse dentro da área entre as balizas demarcadas.

No entender do Tribunal, cabia à organização montar e desenvolver o evento em condições adequadas de forma a não causar danos a nenhum dos participantes, sendo que isso incluía «tomar todas as medidas de segurança que algumas regras básicas de prudência exigiam a fim de poder evitar os riscos que esta competição desportiva específica poderia acarretar».

Esta decisão constitui assim um importante alerta para que não deixem de tomar as medidas necessárias de forma a evitar que sejam confrontados com uma situação como esta.

Já lá diz o ditado: «Quem o avisa..