Ambos campeões olímpicos, Tirunesh Dibaba e Kenenisa Bekele participaram no fim-de-semana de um evento virtual que teve como objetivo arrecadar fundos na luta contra o coronavírus na Etiópia.

Habitualmente realizada nos Estados Unidos, a Grand African Run, juntamente com a Federação Etíope de Atletismo, organizou um evento virtual que atraiu inúmeros corredores espalhados um pouco por todo o mundo. O objetivo não era correr uma distância específica, apenas… correr.

O evento foi transmitido online e os corredores que participaram utilizaram as plataformas Zoom, Facebook Live e YouTube, tendo como principal objetivo a angariação de fundos.

A tricampeã olímpica Tirunesh Dibaba (Pequim 2008 nos 5000m, com 15m41s40, e nos 10000m, com 29m54s66; Londres 2012 nos 10000m, com 30m20s75), por exemplo, correu no vazio Estádio Nacional de Adis-Abeba acompanhada pelas irmãs Genzebe (recordista mundial nos 1500 metros com 3m50s07) e Ejegayehu, também atleta de elite.

Já o também tricampeão olímpico Bekele (nos 10000m em Atenas 2004, com 27m05s10; em Pequim 2008, nos 10000m, com 27m01s17, e nos 5000m, com 12m57s82) correu na passadeira da sua casa.

«Acredito que estamos a sair desta tempestade. A humanidade já sobreviveu a muitos desastres importantes, mas não será fácil sair deste», afirmou Bekele durante o evento.

Refira-se que o recordista do mundo nos 5000 e 10000 metros cedeu o seu hotel em Sululta, nos arredores de Addis Abeba, para os pacientes afetados pela Covid-19.

LEIA TAMBÉM
Recordistas mundiais da Maratona Pai/Filho alvo de estudo por cientistas

Nota também para a participação de Derartu Tulu, primeira mulher negra africana a ganhar uma medalha de ouro em uns Jogos Olímpicos, concretamente em Barcelona, nos 10000 metros, com o tempo de 31m06s02 (feito que repetiu nos Jogos de Sydney 2000, com 30m17s49).

«Anseio pelo dia do fim da pandemia para correr com todos vocês. Espero que esse dia não esteja muito longe», afirmou.

De referir que o dinheiro arrecadado neste evento serão doados a duas ONG da Etiópia.