Embaixadora da Philips, Susana Costa revelou a importância do sono nos seus resultados desportivos. A atleta de triplo salto desvendou inclusive os métodos utilizados para ter uma noite mais tranquila, um método denominado Hábitos de Higiene do Sono.

Este ano o Dia Mundial do Sono é comemorado esta sexta-feira, 13 de março, o que fez com que a Philips e a Associação Portuguesa do Sono fizessem questão de salientar a importância do sono para o organismo, «mas sobretudo para o cérebro, para a preservação da memória», destaca o presidente da Associação Portuguesa do Sono, Joaquim Moita, que recordou que os adultos devem dormir entre 7 e 9 horas por dia.

«O que absorvemos durante o dia é consolidado pelo nosso cérebro durante o sono (…), que faz uma espécie de seleção do que é ou não importante de acordo com as nossas vivências e comportamentos.»

Joaquim Moita revelou que quase 2/3 dos portugueses sofrem de perturbações do sono, 50% dos portugueses dormem menos de 6 horas por noite e 20% têm dificuldades para adormecer, «um problema sério da nossa comunidade», defendeu o especialista, ressaltando que, e segundo vários estudos, a privação do sono traz problemas cardiovasculares, obesidade, diabetes e, inclusive, em alguns casos, cancro, além de afetar o nosso sistema imunitário.

«Há em Portugal uma falta de respeito pelo sono.»

Joaquim Moita salientou ainda dois fatores bastante importantes que todos devem ter em atenção: a regularidade horária do deitar e acordar e a temperatura do quarto para adormecer, que deve rondar entre os 18 e 20 graus. «E, com o impacto das alterações climáticas, esse será um problema no futuro», referiu Joaquim Moita, que recordou que o lema este anos do Dia Mundial do Sono é “Melhor Sono, melhor vida, melhor planeta“.

LEIA TAMBÉM
Quantas horas tenho de dormir de acordo com a minha idade?

Joaquim Moita disse também que, nos Estados Unidos, a principal causa dos acidentes de viação nos nossos dias é precisamente a carência de sono, «não é a bebida», um alerta que gostaria de ver em Portugal.

Apesar da nossa preocupante realidade em relação à média de horas de sono, uma das piores na Europa, a coordenadora da Universidade de Sono e Ventilação não Invasiva do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte, Paula Pinto, fez questão de salientar que as cerca de 100 doenças provenientes da carência do sono têm tratamento caso sejam diagnosticadas a tempo. A especialista fez questão de destacar que todos devem deixar de viver as 24 horas do dia durante os 7 dias da semana em função do trabalho.

«Não dormir umas horas por dia equivale a não dormirmos uma ou duas noites na semana. E isso afeta o nosso dia-a-dia, o nosso rendimento. Temos de alterar os nossos hábitos, os nossos comportamentos, aproveitar para estarmos com a família, caminharmos, apanharmos Sol…»

Uma opinião partilhada por Susana Costa, que aproveitou a ocasião para revelar como o sono alterou por completo a sua performance desportiva.

A atleta de triplo salto disse que sempre teve problemas com o sono, «desde os 9 anos», e que só quando decidiu alterar por completo o seu comportamento e estilo de vida, cumprindo algumas das regras da Hábitos de Higiene do Sono, é que compreendeu a sua total importância. Uma mudança recente no seu dia-a-dia.

«Tenho um ritual de sono do qual já não posso prescindir. Desde que comecei a respeitar os Hábitos de Higiene do Sono sinto-me melhor, mais capaz e com mais energia. Era normal acordar sonolenta e, durante todo o dia, estar cansada e sem forças para treinar. Hoje compreendo que, para ter uma vida saudável, é imprescindível dormir entre sete e oito horas por noite.»

Susana Costa revelou alguns dos seus Hábitos de Higiene do Sono, concretamente uma alimentação regada, banho quente, um chá relaxante, vestir «o pijaminha confortável» e dormir sempre à mesma hora.

Alterações que acabaram por fazer com que Susana Costa tenha alcançado, por exemplo, a sua melhor temporada internacional de Inverno, tudo devido ao cuidado que começou a ter com a importância do sono.

«Quanto mais durmo, melhor treino. Com os Hábitos de Higiene do Sono e o descanso ganho mais vida, energia e dá-me vontade de chegar mais além.»

Entretanto, Joaquim Moita recordou que, das 8 horas de sono, as duas últimas são as mais importantes, o denominado sono REM, o último do Ciclo do Sono.

«É um erro acordar mais cedo precisamente por afetar o sono REM, responsável pela nossa criatividade, sonhos e aprendizagem, por exemplo.»

Em conclusão, Paula Pinto fez questão de salientar que a mudança depende apenas de nós, que somos nós, individualmente, os responsáveis pelo bom sono, já que dormir bem é fundamental para a aprendizagem, consolidação de memórias e estabilidade emocional. Além dos benefícios que traz a nível intelectual e emocional, o sono também é fundamental para o crescimento e desenvolvimento do sistema nervoso central, garante várias funções hormonais e aumenta a nossa capacidade de defesa contra infeções.

Entretanto, a Philips, juntamente com a Associação Portuguesa de Sono, lançou a campanha Bons Sonhos em Portugal, que procura consciencializar a sociedade sobre a importância do sono na saúde diária das pessoas e de como o mesmo afeta o desenvolvimento da vida quotidiana. Juntas, ambas vão lançar em breve o e-book Bons Sonhos – 11 dicas para dormir melhor, um e-book que demonstra a importância do sono, um e-book onde Susana Costa revela como o sono foi preponderante para a sua carreira.