Circuito criado este ano, a SuperHalfs reúne cinco das principais provas na Europa, entre elas a Meia-maratona de Lisboa, mas também a de Praga. Devido ao coronavírus, as duas cidades adiaram as suas provas para o mesmo dia, 6 de setembro.

Um dos grandes objetivos dos organizadores da SuperHalfs é fazer com que os corredores de todo o mundo conquistem a medalha final do circuito, que só pode ser conquistada se os atletas correrem as cinco provas em 36 meses.

No entanto, e devido a pandemia da Covid-19, pelo menos este ano não será possível os interessados alcançarem a ansiada medalha, já que os organizadores das Meia-maratonas de Lisboa e Praga remarcaram as suas provas para o mesmo dia, 6 de setembro.

Antes, a Meia-maratona de Lisboa estava agendada para o dia 22 de março, seis dias antes da Meia-maratona de Praga, outra das provas mais acarinhadas no continente europeu. As duas provas são precisamente as duas primeiras corridas deste novo circuito.

LEIA TAMBÉM
Meia-maratona de Lisboa comemora 30 anos com lotação esgotada

A junção das datas causou alguma reclamação nas redes sociais, já que muitos corredores pretendiam conquistar a medalha do circuito ainda este ano, algo que, agora, é impossível. Senão devido ao coronavírus, pelo menos devido a má gestão dos organizadores da SuperHalfs, já que conseguiram marcar para a mesma data as meias de Lisboa e Praga.

De referir que a Meia-maratona de Praga do próximo ano está agendada para o dia 27 de março e que as restantes três meias deste novo circuito estão marcadas, este ano, para os dias 13 de setembro (Copenhaga), Cardiff (4 de outubro) e Valência (25 de outubro). Ou seja, para quem deseja correr quatro das cinco provas da SuperHalfs este ano, entre elas a Meia-maratona de Lisboa, terá de fazer em menos de 50 dias…