Sergey Shubenkov, de 30 anos, acusou positivo num teste antidoping. Um duro golpe para o desporto russo, que procurava limpar o seu nome nas entidades internacionais tendo em vista os próximos Jogos Olímpicos. 

Campeão mundial nos 110 metros barreiras em 2015 e vice-campeão do mundo em 2017 e 2019, o exame de Sergey Shubenkov acusou mostras de furosemida, diurético para o controlo de peso utilizado como um agente enganador. 

Segundo o Sport Express, o velocista pode apanhar agora quatro anos de sanção, o que vai impedir Shubenkov de disputar os Jogos de Tóquio como atleta neutro. No entanto, a sua participação não está completamente descartada após o exame realizado pela RUSADA, pois será necessário esperar pelos resultados da contra-análise.

«Não há nenhum comentário por fazer porque essa informação não corresponde a verdade. Querem escrever sobre isso? Escrevam», afirmou o treinador Serguéi Klevtsov à agência RIA Nóvosti.

Sergey Shubenkov é considerado por todos como um atleta limpo, o que permitiu a sua participação em provas internacionais. Inclusive, o próprio atleta criticou por diversas vezes a sua federação pela conveniência com o doping.

LEIA TAMBÉM
Segredos para melhorar a cadência da sua corrida

Único velocista da história do Atletismo masculino soviético e russo a ganhar medalhas nos mundiais nos 110 metros barreiras, Sergey Shubenkov foi condecorado com a medalha da Ordem de Mérito pelo Governo da Rússia. Além das medalhas nos mundiais, venceu os Europeus em 2012 e 2014, além de uma prata em 2018. 

No ano passado, Sergey Shubenkov ponderou mudar a sua nacionalidade para poder disputar Tóquio 2020.