Rhea Bullos Filipinas

Numa altura em que se discute a importância das sapatilhas e das tecnologias de vanguarda que estas encerram, uma jovem filipina, Rhea Bullos, vem provar o contrário, ao vencer três provas calçando umas sapatilhas feitas por ela própria!

Paixão. Paixão pela corrida e pelo desporto. Esta parece ser a receita da jovem Rhea Bullos, de apenas 11 anos, nascida no seio de uma família pobre e que estuda numa escola de Balasan, uma pequena e pobre localidade nas Filipinas.

Inserida numa comunidade de fracos recurso económicos, ainda assim Rhea nunca deixou de perseguir o seu sonho – apaixonada pela corrida, desde cedo começou a correr, mesmo sem qualquer material técnico ou sapatilhas.

LEIA TAMBÉM
Marcelo Rebelo de Sousa condecorou guineense Braima Dabó pelo seu «testemunho de humanidade»

Sem material, mas com enorme vontade

Foi, de resto, assim, que a jovem filipina se apresentou, no passado dia 9 de dezembro, para as provas de 400, 800 e 1.500 metros, organizadas pelo Conselho Desportivo das Escolas de Iloilo.

Oriunda de uma família e comunidade pobres, nem mesmo assim Rhea Bullos deixou de sonhar e correr atrás da sua paixão. Sendo que, para o realizar, criou, ela própria, uma engenhosa solução
Oriunda de uma família e comunidade pobres, nem mesmo assim Rhea Bullos deixou de sonhar e correr atrás da sua paixão. Sendo que, para o realizar, criou, ela própria, uma engenhosa solução

Sem possibilidade de comprar uns ténis de pista, Rhea Bullos socorreu-se da imaginação e encontrou uma solução original: envolveu os dedos e algumas zonas dos pés com simples bocados de pano de forma a protegê-los do piso mais agressivo.

Não se esquecendo sequer, naquilo que poderá ser visto como um sonho de uma criança que cresceu a admirar os atletas profissionais, desenhar nos panos o logótipo e nome da multinacional Nike!

A força do sonho de Rhea Bullos

Exemplo de que a determinação pode derrubar muitos obstáculos, a verdade é que Rhea acabou mesmo por vencer as três distâncias em que se apresentou à partida. Ao mesmo tempo criou, ela própria, uma espécie de tendência: muitos dos colegas com quem corre, tão pobres quanto ela, acabaram por aderir à solução encontrada pela jovem filipina!

Solução engenhosa mas certamente pouco eficaz, as "sapatilhas" criadas por Rhea Bullos acabaram sendo adoptadas, igualmente, pelas outras ciranças pobres com quem a jovem filipina corre
Solução engenhosa mas certamente pouco eficaz, as “sapatilhas” criadas por Rhea Bullos acabaram sendo adoptadas, igualmente, pelas outras ciranças pobres com quem a jovem filipina corre

No entanto, e essa é também uma boa razão para darmos voz a esta história, a determinação de Rhea Bullos foi entretanto reconhecida: depois do seu treinador, Predirick  Valenzuela, ter publicado as imagens da jovem correndo com os pés entrapados, um armazém de material desportivo em Iloilo decidiu oferecer a Rhea umas sapatilhas de corrida e um equipamento desportivo para que esta possa continuar a praticar o desporto que adora.

Infelizmente, e a crer nas fotos entretanto publicadas, as sapatilhas ainda não são específicas para corrida em pista. Contudo, não deixa de ser um grande salto para uma atleta que já deu provas da paixão que tem pela corrida…

LEIA TAMBÉM