Trail 2019

Que 2020 foi o ano totalmente atípico, em que a maior parte das provas acabou cancelada ou adiada para 2021, é algo de que já ninguém tem dúvidas. Mas de que forma isso se refletiu no ranking dos melhores trail runners da ITRA?

A decisão marcou, sem dúvida, o ano que fica para trás: decorria a primavera na Europa, mais concretamente o mês de março, quando a Associação Internacional de Trail Running (ITRA) decidiu, numa medida totalmente inédita, congelar o ranking dos melhores atletas da modalidade.

A razão para esta decisão, que entrou em vigor no dia 1 de março, prendeu-se, obviamente, com a pandemia que começava a grassar um pouco por todo o mundo e que devastava provas atrás de provas, impedindo igualmente os atletas de encararem os poucos eventos que, entretanto, ainda ocorriam.

Assim, e com o a suspensão a terminar no dia 1 de janeiro de 2021, a ITRA acaba de divulgar o ranking mundial 2020, realizado com base no denominado Índice de Rendimento (IR), que contempla os cinco melhores resultados feitos por cada atleta nas provas pontuadas pela associação internacional realizadas nos últimos três anos. E que, além de uma queda generalizada na pontuação, traz ainda algumas surpresas nos lugares cimeiros da classificação masculina e feminina.

LEIA TAMBÉM
Primeiro Mundial unificado de Trail e Montanha da World Athletics terá lugar em 2021

Como aliás era já previsível, o coeficiente negativo de antiguidade nos resultados, criado em 2019, veio fazer com que os resultados obtidos pelos atletas percam valor no ranking com o passar do tempo, levando a que as pontuações surjam mais baixas e, consequentemente, leve a que as provas mais categorizadas e pontuáveis fiquem obrigadas a convidar menos atletas do que o habitual devido à sua fraca pontuação. Não podemos esquecer que o limite mínimo, no caso dos homens, é 880 pontos, ao passo que, nas mulheres, é de 760.

Homens: uma luta a dois

Começando pelos homens, nem mesmo o congelamento imposto pela ITRA em 10 dos 12 meses de 2020 evitou a repetição daquela que tem sido a tendência dos últimos anos no topo da classificação. Mais concretamente, com a disputa do primeiro lugar entre o norte-americano Jim Walmsley e o espanhol Kilian Jornet.

Tendo ambos perdido pontos devido à escassez de provas, o primeiro lugar pertence, neste momento, a Walmsley, com apenas 946 pontos (em grande parte devido à vitória nos 50 km de Pemberton Trail) e com o americano a dominar na categoria XXL, a mais dura das que atualmente a ITRA elabora.

Assim, no segundo lugar, surge Kilian Jornet, com 943 pontos, também devido ao facto de não ter somado nenhum resultado digno de registo aos cinco realizados nos últimos três anos e que são válidos para o ranking. O espanhol lidera, neste momento, a categoria S.

Surpreendente é no entanto o terceiro lugar do polaco Bartlomiej Przedwojewski no ranking masculino da ITRA, o qual, graças à vitória no Golden Trail Championship, soma agora 932 pontos, além de liderar a categoria XL.

Finalmente, e a completar os cinco primeiros lugares do ranking masculino da ITRA 2020, o eritreu Petro Mamu, com 925 pontos e que continua a dominar na categoria XXS, e o americano Hayden Hawks, que, após a vitória na JFK 50 Mile, soma 923 pontos e lidera a categoria M.

Jim Walmsley é agora o líder do ranking da ITRA

Mulheres: uma liderança sem rivais

Passando ao ranking feminino da ITRA 2020, mantém-se a liderança incontestada da suíça Maude Mathys, com 815 pontos, também devido a um 2020 em que somou mais duas importantes vitórias ao seu currículo: na Golden Trail Championship e na Sierre-Zinal. Resultados que não só lhe garantiram o primeiro lugar pelo segundo ano consecutivo, como lhe deram também a liderança na categoria.

Atrás de Mathys surge a sua principal adversária no Golden Trail Championship, a sueca Tove Alexandersson, que, com 803 pontos, assumiu a vice-liderança do ranking, fruto também dos bons resultados nos Açores, na Skyrace des Matheysins e nos 43 km de Fjällmaraton, surgindo agora também como líder da categoria XS.

No lugar mais baixo do pódio está a americana Courtney Dauwalter, com 799 pontos, e que, apesar de não somado qualquer resultado de relevo, segue na frente das categorias XXL e XL.

A fechar o quadro das cinco melhores trail runners femininas da atualidade no ranking da ITRA 2020, a neo-zelandesa Ruth Croft, com 793 pontos, e a francesa Blandine L’Hirondel, com 792 pontos. Esta última, campeã mundial feminina de trail running, em 2019.