O caso merece profunda ponderação: a Federação de Atletismo da República Checa anunciou, já esta semana, a morte trágica do jovem atleta de 19 anos Ondrej Hodbod, vítima de suicídio.

A morte do jovem atleta, que parecia ter à sua frente uma promissora carreira no Atletismo, acontece num ano em que Ondrej já se havia sagrado campeão da República Checa nos 2.000 metros obstáculos na categoria Sub-20, além de, no passado fim-de-semana, ter melhorado a sua marca pessoal na distância, com o tempo de 5m46s36.

A par destes feitos, Hodbod também já havia sido quarto nos 2.000 metros obstáculos dos Campeonatos da Europa de Sub-18, realizados na Hungria, sendo suplantado apenas pelo francês Baptiste Guyon, o espanhol Pol Oriach e o português Etson Barros.

LEIA TAMBÉM
Kilian Jornet correu 84 quilómetros na pista para testar estratégias nutricionais

O mais novo dos irmãos Hodbod também competiu nos Jogos Olímpicos da Juventude, realizados na Argentina.

Recorde-se que Ondrej é irmão do corredor internacional de 800 metros Lukas Hodbod, que, já este ano, fez como melhor marca 1m46s26.

O suicídio de Ondrej Hodbod, cujas causas estão ainda por conhecer, acontece no mesmo mês em que o atleta havia conseguido melhorar as suas marcas pessoais nos 3.000 metros (9m05s41, no dia 5 de setembro), 1.500 metros (3m53s94, no dia 8 de setembro) e nos já referidos 2.000 metros obstáculos (5m46s36, no passado dia 20 de setembro).