Nelly Jepkosgei foi suspensa por três anos após fingir um acidente de viação da irmã como justificação para a falta de um teste antidoping.

Segundo a Unidade de Integridade de Atletismo (AIU), Jepkosgei disse que a irmã tinha sofrido um grave acidente de carro no Quénia, motivo pela qual faltou o exame anti-doping no passado dia 18 de março.

Após a AIU investigar as alegações de Jepkosgei, chegou a conclusão de que a queniana tinha mentido, após a polícia ter revelado que não havia registo de nenhum acidente. Para piorar, o documento hospitalar apresentado por Nelly Jepkosgei era «forjado».

LEIA TAMBÉM
A tecnologia das sapatilhas pode significar a morte da Maratona

A admissão de culpa permitiu a queniana reduzir em um ano a sua penalização. De referir que a queniana não compete desde 2019, quando venceu os 800 metros em Rabat e Lausanne, provas da Liga Diamante.