Rosa Mota vence a Maratona dos Jogos Olímpicos de Seul88

Rosa Mota é uma das mulheres que marcaram a História da Corrida, principalmente devido a sua incrível performance na Maratona, sendo por isso considerada por muitos como a principal maratonista de todos os tempos. A portuguesa junta-se assim a uma lista que pretende homenagear as mulheres que marcaram a modalidade.

KATHERINE SWITZER
A foto de Katherine Switzer sendo empurrada por um juiz da Maratona de Boston é uma das mais ícones de sempre do Desporto (e da fotografia em geral). Tudo aconteceu em 1967, com Switzer a ser a primeira mulher a terminar a prova, com o tempo de 4h20m00 (na altura, a Maratona só podia ser corrida por homens. A norte-americana inscreveu-se com o nome de KV Switzer). A sua coragem foi um empurrão para os movimentos feministas de então e o número do seu dorsal, 261, uma referência para muitos ao longo dos anos. Inclusive ainda hoje, é um símbolo pela igualdade.

FLORENCE GRIFFITH
Conhecida como A Filha do Vento, os recordes do Mundo dos 100 e 200 metros continuam na posse da norte-americana Florence Griffith. No hectómetro, é a única mulher a correr a distância em menos de 10s50, concretamente 10s49; nos 200 metros, o registo é de 21s34. O surpreendente é que ambos foram alcançados em… 1988. Foi ainda a mulher mais exótica que pisou as pistas mundiais.

HASSIBA BOULMERKA
Medalha de ouro nos 1500 metros dos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992 (além de dois mundiais), a história da argelina Hassiba Boulmerka é um marco na luta pelos Direitos das Mulheres. Apesar de ser a segunda muçulmana a conquistar uma medalha olímpica (a primeira foi Nawal El Moutawakel, medalha de ouro nos 400 metros barreiras em Los Angeles84), Boulmerka foi perseguida pelos fanáticos religiosos do Islão por correr de calções curtos e camisola sem alças. Foi Prémio Príncipe de Asturias em 1995 e uma lutadora voraz pelos Direitos das Mulheres nos países árabes.

ROSA MOTA
Campeã olímpica e mundial (Roma 87) na Maratona, Rosa Mota é considerada ainda hoje uma das principais maratonistas do século XX (21 Maratonas entre 1982 e 1992, com 14 vitórias, entre elas em Boston, Chicago, Tóquio e Londres, por exemplo). O seu triunfo nos Jogos Olímpicos de Seul, em 1988, é ainda hoje recordado por milhares de portugueses. Após deixar as corridas, Rosa Mota continuou a ser uma referência mundial e por isso ocupa com honra o cenário das Mulheres na História da Corrida. Promoven ainda os benefícios da corrida mas também é o rosto de várias causas sociais, como o Cancro da Mama, por exemplo. E ainda corre…

GRETE WAITZ
Norueguesa, medalha de prata na primeira edição da Maratona olímpica feminina, em Los Angeles 84, campeã mundial em Helsinquia 83, Grete Waitz ganhou por nove vezes a Maratona de Nova Iorque: 1978 (recorde do mundo), 1979 (recorde do mundo), 1980 (recorde do mundo), 1982, 1983, 1984, 1985, 1986 e 1988. Os seus feitos desportivos marcaram uma geração. Considerada por muitos como a melhor maratonista de todos os tempos (assim como Rosa Mota para outros), os seus resultados fizeram com que a imprensa e a organização das provas olhassem com outros olhos para as mulheres (inclusive o Comité Olímpico Internacional, que finalmente introduziu a Maratona feminina no calendário). O seu serviço humanitário também foi marcante, principalmente vinculada a Care International e aos Special Olympics. Lenda na Noruega, com direito a estátua e selo, é também reverenciada em Nova Iorque.